sicnot

Perfil

País

Queda de neve em Viseu obriga alunos a regressarem a casa mais cedo

Centenas de alunos de escolas dos concelhos de Castro Daire, Cinfães e Resende, no distrito de Viseu, estão hoje a regressar mais cedo a casa devido à queda de neve, disseram à agência Lusa fontes das autarquias.

As previsões meteorológicas apontam para a queda de neve em cotas acima dos 400/600 metros. (Arquivo)

As previsões meteorológicas apontam para a queda de neve em cotas acima dos 400/600 metros. (Arquivo)

LUSA

No concelho de Castro Daire, depois de almoço, "por uma questão de precaução, foram encerradas algumas escolas primárias, nomeadamente a do Mezio, a das Carvalhas e a de Picão", explicou o vice-presidente da autarquia, Eurico Moita.

Por outro lado, "houve alunos que frequentam a Escola Básica 1 de Castro Daire que vivem na zona de Bustelo, Almofala e S. Joaninho que fizeram a refeição e foram para as suas casas", referiu, acrescentando que o fim de semana começou mais cedo para cerca de 250 alunos do concelho.

Eurico Moita justificou que a decisão se ficou a dever ao facto de as previsões meteorológicas apontarem para a queda de neve em cotas acima dos 400/600 metros, o que poderia complicar o regresso a casa dos alunos que vivem na Serra do Montemuro.

"Entrámos em contacto com a empresa que habitualmente efetua os transportes escolares para os levarem", por as suas viaturas ainda conseguirem circular nas estradas, acrescentou.

No concelho de Cinfães não há escolas encerradas, mas cerca de 50 alunos também foram transportados mais cedo para casa.

"Os alunos que residem nas aldeias da Serra do Montemuro (Gralheira, Ramires, Alhões e Bustelo) já foram levados para as suas residências, porque depois não conseguiriam chegar lá. Os outros mantêm as aulas normais", explicou o presidente da autarquia, Armando Mourisco.

Segundo o autarca, os alunos foram transportados cerca das 13:30 "até onde ainda é transitável e, daí, foram para as suas aldeias nos jipes dos bombeiros e do município".

A mesma solução foi posta em prática no concelho de Resende, onde também não há escolas fechadas, mas "os meninos que vivem nas zonas onde está a cair neve estão a ser transportados mais cedo para casa".

De acordo com fonte da autarquia, "antes do almoço foram transportados os meninos do centro escolar de S. Cipriano: quatro para Feirão, oito para Panchorra e Talhada, dez para Ovadas e quatro para Roças".

Entretanto, foi decidido que os autocarros que habitualmente levam as crianças às 16:30 antecipariam o transporte para as 14:30.

"Os autocarros vão fazer o circuito normal até onde puderem. Quando chegarem às vias que estão impedidas por causa da neve, estão lá carrinhas da Proteção Civil que vão transportar os meninos", acrescentou.

Segundo a mesma fonte, estão carrinhas na zona de S. Cipriano (para fazer o transporte até Ovadas e Roças), em Felgueiras (para fazer o transporte até Feirão, Panchorra e Talhada) e em S. Martinho de Mouros (para fazer transporte até Moumiz).

"Estes meninos pertencem à escola preparatória, à escola secundária e ao externato e vivem nessas localidades", acrescentou.

No distrito de Viseu encontram-se cortadas, devido à queda de neve, a Estrada Nacional 321, entre Castro Daire e Cinfães, e as municipais 553 (entre Resende e Feirão) e 553-1 (entre Resende e Bigorne).

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.