sicnot

Perfil

País

Queda de neve em Viseu obriga alunos a regressarem a casa mais cedo

Centenas de alunos de escolas dos concelhos de Castro Daire, Cinfães e Resende, no distrito de Viseu, estão hoje a regressar mais cedo a casa devido à queda de neve, disseram à agência Lusa fontes das autarquias.

As previsões meteorológicas apontam para a queda de neve em cotas acima dos 400/600 metros. (Arquivo)

As previsões meteorológicas apontam para a queda de neve em cotas acima dos 400/600 metros. (Arquivo)

LUSA

No concelho de Castro Daire, depois de almoço, "por uma questão de precaução, foram encerradas algumas escolas primárias, nomeadamente a do Mezio, a das Carvalhas e a de Picão", explicou o vice-presidente da autarquia, Eurico Moita.

Por outro lado, "houve alunos que frequentam a Escola Básica 1 de Castro Daire que vivem na zona de Bustelo, Almofala e S. Joaninho que fizeram a refeição e foram para as suas casas", referiu, acrescentando que o fim de semana começou mais cedo para cerca de 250 alunos do concelho.

Eurico Moita justificou que a decisão se ficou a dever ao facto de as previsões meteorológicas apontarem para a queda de neve em cotas acima dos 400/600 metros, o que poderia complicar o regresso a casa dos alunos que vivem na Serra do Montemuro.

"Entrámos em contacto com a empresa que habitualmente efetua os transportes escolares para os levarem", por as suas viaturas ainda conseguirem circular nas estradas, acrescentou.

No concelho de Cinfães não há escolas encerradas, mas cerca de 50 alunos também foram transportados mais cedo para casa.

"Os alunos que residem nas aldeias da Serra do Montemuro (Gralheira, Ramires, Alhões e Bustelo) já foram levados para as suas residências, porque depois não conseguiriam chegar lá. Os outros mantêm as aulas normais", explicou o presidente da autarquia, Armando Mourisco.

Segundo o autarca, os alunos foram transportados cerca das 13:30 "até onde ainda é transitável e, daí, foram para as suas aldeias nos jipes dos bombeiros e do município".

A mesma solução foi posta em prática no concelho de Resende, onde também não há escolas fechadas, mas "os meninos que vivem nas zonas onde está a cair neve estão a ser transportados mais cedo para casa".

De acordo com fonte da autarquia, "antes do almoço foram transportados os meninos do centro escolar de S. Cipriano: quatro para Feirão, oito para Panchorra e Talhada, dez para Ovadas e quatro para Roças".

Entretanto, foi decidido que os autocarros que habitualmente levam as crianças às 16:30 antecipariam o transporte para as 14:30.

"Os autocarros vão fazer o circuito normal até onde puderem. Quando chegarem às vias que estão impedidas por causa da neve, estão lá carrinhas da Proteção Civil que vão transportar os meninos", acrescentou.

Segundo a mesma fonte, estão carrinhas na zona de S. Cipriano (para fazer o transporte até Ovadas e Roças), em Felgueiras (para fazer o transporte até Feirão, Panchorra e Talhada) e em S. Martinho de Mouros (para fazer transporte até Moumiz).

"Estes meninos pertencem à escola preparatória, à escola secundária e ao externato e vivem nessas localidades", acrescentou.

No distrito de Viseu encontram-se cortadas, devido à queda de neve, a Estrada Nacional 321, entre Castro Daire e Cinfães, e as municipais 553 (entre Resende e Feirão) e 553-1 (entre Resende e Bigorne).

Lusa

  • "O bom senso obriga a acordo para a estabilização do sistema financeiro"
    2:06

    Economia

    O Presidente da República disse esta quarta-feira que "o bom senso obriga a que todos estejam de acordo para a estabilização do sistema financeiro". Num aparente recado a Passos Coelho, Marcelo apelou a um consenso de regime e avisou que "não há prazer tático que justifique o desgaste" provocado pelas divisões atuais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.