sicnot

Perfil

País

GNR reforça fiscalização à condução sob efeito do álcool

A Guarda Nacional Republicana intensifica, hoje e no domingo, em todo o país a fiscalização à condução sob influência do álcool e de substâncias psicotrópicas, no âmbito da operação "Baco".

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

PAULO CUNHA

Segundo a GNR, as ações de fiscalização vão ser direcionadas para as vias onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, sobretudo estradas nacionais, regionais e municipais de acesso a estabelecimentos de diversão noturna.

Dados divulgados pela corporação indicam que perto de 40.000 condutores foram apanhados com excesso de álcool pela GNR em 2015, sendo que 11.249 incorrerem em crime devido à elevada taxa de alcoolemia.

Em 2015, a GNR detetou 39.916 condutores com excesso de álcool, mais 3.448 (9,4 por cento) do que em 2014, quando foram apanhados 36.468 automobilistas.

Dos 39.916 condutores detetados com álcool no ano passado, 28.667 incorrem numa contraordenação e 11.249 num crime, uma vez que apresentaram uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 gramas por litro, segundo aquela força de segurança.

O maior número de condutores registados pela GNR com excesso de álcool em 2015 verificou-se em Braga (3.633), Aveiro (3.435) e Faro (3.132).

Por sua vez, Portalegre foi o distrito onde a GNR apanhou menos condutores com álcool (374).

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.