sicnot

Perfil

País

Quase 20 casos de sarna registados em escola do concelho da Moita

Quase duas dezenas de casos de sarna foram detetados na Escola Básica n.º 7 da Baixa da Banheira, na Moita, disse esta sexta-feira o presidente da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Nuno Cavaco.


"Na escola foram registados primeiro dois casos, mas no total são já 18 os casos de sarna, entre alunos e outras pessoas" do estabelecimento, descreveu o autarca.

Segundo Nuno Cavaco, a direção do agrupamento a que pertence a escola já informou os encarregados de educação da situação.

"Compreendo a insatisfação e se fosse meu filho também não ia ficar satisfeito. A direção já informou os pais e avisou que caso detetassem alguma coisa deveriam levar as crianças ao médico", afirmou.

O autarca referiu que a escola não tem problemas de limpeza e lembrou que se têm registado casos em várias escolas no país: "Este não é caso único, têm-se registado outros casos de surtos de sarna em outras escolas. A informação que existe é que em casos destes as crianças sejam tratadas e a escola não seja encerrada".

Nuno Cavaco explicou que, mesmo que a escola seja encerrada, algo que é defendido pelos encarregados de educação, e alvo de uma desparasitação, não existe nenhuma garantia de que o problema seja resolvido de vez.

"Não é a escola que pode decidir se encerra ou não. O Ministério da Saúde, tendo em conta que já existem casos em várias escolas, devia dar outro tipo de informação aos encarregados de educação. Devia explicar melhor os procedimentos e o que se deve fazer em casos destes", concluiu.

No final de janeiro, a Direção-Geral da Saúde esclareceu que os casos de sarna nas escolas não justificam o encerramento dos estabelecimentos de ensino, nem quarentena obrigatória de crianças infetadas, por não configurar risco de saúde pública nacional e ser facilmente tratável.

Quanto às razões para estar a aumentar o número de casos de escabiose (sarna) em escolas da região de Lisboa, a sub-diretora geral da Saúde, Graça Freitas, disse desconhecer se efetivamente se está a verificar um aumento ou se é um caso de "epidemia mediática", porque se começou a falar e a noticiar o assunto.

A verdade é que "há frequentemente" casos de sarna - uma doença de pele contagiosa causada por um ácaro e que dá comichão intensa --, mas que não são noticiados.

A sarna ou escabiose, como é apelidada pelos médicos, é uma infeção na pele provocada por um ácaro, afeta apenas os seres humanos, manifesta-se por comichão em zonas específicas do corpo e tem efeito contagiante, sendo transmitida pelo contacto sexual ou pelo simples contacto da pele com roupa usadas por quem está infetado.

Os surtos epidémicos ocorrem sobretudo no inverno e estão associados a condições de vida, hábitos higiénicos, migrações ou aglomerados habitacionais. Os sintomas podem surgir até seis semanas após o contacto com uma pessoa infetada ou respetivos bens pessoais.

Lusa

  • Dois casos de sarna numa escola no Barreiro
    2:09

    País

    Os encarregados de educação das crianças da Escola Básica nº 8 do Barreiro estão preocupados com o aparecimento de dois casos de sarna e afirmam que ainda não foram informados de nada. A coordenadora da escola recusou-se a prestar quaisquer declarações.

  • Detetados novos casos de sarna em Odivelas
    2:20

    País

    Foram detetados novos casos de sarna, desta vez numa escola de Ensino Básico em Odivelas. A diretora do agrupamento diz que não há razão para alarme e que o caso está ser acompanhado pelas autoridades de saúde.

  • Colisão entre duas viaturas em Almancil causa 2 mortos e 3 feridos graves

    País

    Duas pessoas morreram e três ficaram feridas numa colisão ocorrida hoje entre dois veículos ligeiros numa variante da Estrada Nacional 125 perto de Almancil, distrito de Faro. Os três feridos foram transportados para o hospital de Faro em estado grave, segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.