sicnot

Perfil

País

Governo já formalizou candidatura de António Guterres a secretário-geral da ONU

O Governo português formalizou hoje a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas, sublinhando o "amplo consenso interno" em torno da candidatura do antigo alto-comissário da ONU para os refugiados.

© Denis Balibouse / Reuters

"Ao tomar esta iniciativa, Portugal contribui de forma ativa para o processo de seleção do próximo secretário-geral [da ONU], apresentando um candidato excecionalmente qualificado para o desempenho daquele lugar", diz uma nota do executivo hoje divulgada.

O texto enviado às redações sucede a uma carta do primeiro-ministro, António Costa, dirigida aos presidentes da Assembleia-Geral e do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Para o Governo, a candidatura de Guterres é "um imperativo, num tempo em que, mais do que nunca, é urgente mobilizar o mundo em prol da paz e da segurança, dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável".

O executivo lembra a "longa carreira de serviço público" de Guterres, "nomeadamente enquanto primeiro-ministro (1995-2002) e alto-comissário das Nações Unidas para os refugiados (2005-2015).

"O Eng.º António Guterres deu provas do seu compromisso com os ideais humanistas consagrados nos objetivos e nos princípios da Carta das Nações Unidas, bem como da sua capacidade de liderança e gestão ao mais alto nível. São amplamente reconhecidas as suas competências diplomáticas, essenciais para gerar consensos ao serviço de um multilateralismo efetivo", advoga o Governo liderado por António Costa.

Guterres é ainda descrito como um "profundo conhecedor do sistema das Nações Unidas" que demonstrou sempre "forte capacidade reformista e permanente empenho na promoção da igualdade de género, com resultados concretos e duradouros".

"Enquanto ACNUR [alto-comissário para os refugiados], lugar que ocupou em dois mandatos sucessivos, lidou com um dos mais exigentes desafios com que a comunidade internacional se depara, desempenhando as suas funções com irrepreensíveis imparcialidade, competência e eficácia, bem como profunda consciência humanitária em prol das populações refugiadas e deslocadas", é também referido na nota de hoje.

António Guterres concorre juntamente com a diretora da Organização da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), a búlgara Irina Georgieva Bokova, a ministra dos Negócios Estrangeiros croata, Vesna Pusic, e o ex-presidente da Assembleia-Geral da ONU Srgjan Kerim, da Croácia.

O próximo secretário-geral da ONU assumirá funções a 01 de janeiro de 2017, substituindo o sul-coreano Ban Ki-moon, que cumpriu dois mandatos de cinco anos.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    1:41
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • A SIC visitou os bastidores do Santuário de Fátima
    7:43
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52