sicnot

Perfil

País

Autarquia de Lisboa lança campanha de recolha de bens para refugiados

A Câmara Municipal de Lisboa lançou esta terça-feira uma campanha de recolha de bens como roupa ou brinquedos destinados aos refugiados, que serão recebidos no centro de acolhimento temporário inaugurado na semana passada, anunciou o vereador dos Direitos Sociais.

Arquivo

Arquivo

ANDRÉ KOSTERS / LUSA

A campanha tem como objetivo recolher principalmente roupa, brinquedos, produtos para bebé, e bens alimentícios não perecíveis, que serão entregues aos refugiados acolhidos no centro, anunciou o vereador dos Direitos Sociais, João Afonso.

"Alguns deles vêm com pouco mais do que a roupa que trazem no corpo", referiu o vereador, acrescentando que "é necessário que as pessoas tenham condições quando chegam".

Segundo o autarca, dos "37 refugiados que chegaram a Portugal esta semana, 10 ficam em Lisboa", sendo que "sete já se encontram no centro e três chegam hoje".

"O sistema de acolhimento está montado", afirmou João Afonso.

A campanha arranca hoje e estende-se até ao dia 1 de abril, e quem quiser fazer uma doação deverá deslocar-se aos quartéis do Regimento de Sapadores Bombeiros, entre as 9:00 e as 22:00.

Também as juntas de freguesia estão mobilizadas para esta campanha, acrescentou João Afonso, adiantando que esta é uma forma "mais simples de participação cívica" e de "apelar à solidariedade dos lisboetas".

A distribuição dos bens recolhimentos será feita pela Câmara Municipal de Lisboa, que pretende "começar já a distribuir a roupa e depois a comida, que fará falta quando as pessoas saírem do centro para as casas que lhes forem atribuídas", frisou.

A autarquia inaugurou o centro de acolhimento temporário para refugiados a 22 de fevereiro, na freguesia do Lumiar, e prevê que cada pessoa fique entre uma e três semanas, sendo depois encaminhado para uma solução definitiva.

Esta campanha insere-se na iniciativa "Lisboa, cidade de acolhimento", promovida pelo Programa Municipal de Acolhimento de Refugiados na Cidade de Lisboa.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19