sicnot

Perfil

País

Hospital de Amadora-Sintra já tem viatura de emergência médica

O Hospital Fernando Fonseca dispõe, desde hoje, de uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), que até ao início da tarde já tinha sido solicitada para responder a oito situações de socorro urgente.

(SIC/ Arquivo)

"Esta VMER era mesmo necessária. Nós em Portugal temos seis saídas de VMER por dia, nos vários locais, [e] esta, ainda estamos a meio do dia, e já saiu oito vezes", salientou o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo.

O governante, que falava no Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra), por ocasião da entrada em funcionamento da VMER, acrescentou que "a sua necessidade era real" e a viatura pretende "tornar mais capaz a resposta do INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica] nesta região".

O secretário de Estado adiantou que esta é a 43ª. VMER no país, e que, em abril, deverá também ficar operacional outra para servir a zona do Barreiro-Montijo.

Fernando Araújo sublinhou ainda o esforço no aumento de meios do Serviço de Urgência Básica (SUB) de Algueirão-Mem Martins e manifestou a confiança na concretização, ainda durante 2016, da construção de novos centros de saúde e "mais médicos de família".

O presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta (PS), congratulou-se com a entrada ao serviço da VMER, tal como havia sido prometido pelo ministro da Saúde.

"Durante muito tempo, Sintra foi esquecida em termos de política de saúde, temos que o dizer com clareza, e ainda bem que, neste momento, está a ser lembrada", afirmou o autarca, considerando que a VMER é essencial na resposta às necessidades das populações.

Para Basílio Horta, satisfeito por ver cumprido o lema "palavra dada, palavra honrada", o município de Sintra aguarda agora que seja possível avançar com a construção de novos centros de saúde, principalmente em Agualva e Queluz.

A presidente da Câmara da Amadora, Carla Tavares (PS), também considerou que a instalação da VMER "era uma necessidade urgente" e espera que a viatura seja dotada dos meios humanos para o seu funcionamento.

O presidente do conselho de administração do Fernando Fonseca e o presidente do INEM assinaram o protocolo segundo o qual a unidade hospitalar assegura as equipas que vão trabalhar na VMER.

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, admitiu no início de fevereiro que o hospital de Amadora-Sintra já devia estar dotado, desde há cerca de quatro anos, de uma VMER e prometeu resolver a situação "no princípio de março".

"O hospital Amadora-Sintra tem sido muito sacrificado, foi dimensionado para 300 mil habitantes e está a servir 600 mil. Nós temos de encontrar novas respostas", salientou o ministro, após uma reunião com o presidente da autarquia sintrense.

A falta de uma VMER no Fernando Fonseca tem sido criticada, sobretudo na sequência da morte do ator José Boavida, com uma paragem cardiorrespiratória, em Queluz, que teve de ser assistido por uma viatura do Hospital São Francisco Xavier, apesar da maior proximidade da unidade que serve Amadora e Sintra.

Lusa

  • Hospitais Amadora-Sintra e Barreiro recusam ter Viatura de Emergência e Reanimação
    3:07

    País

    Hospital Amadora-Sintra e o Hospital do Barreiro não possuem uma Viatura Médica de Emergência e Reabilitação (VMER), como está definido por lei. Sempre que há uma emergência nesses concelhos, têm de ser acionadas as VMER de outros hospitais mais distantes que podem estar ocupadas. Confrontado pela SIC com a inexistência destas duas viaturas, o Ministério da Saúde reitera que todas as urgências médico-cirúrgicas devem ter uma VMER e garante que determinou já que o processo de criação destes meios se inicie de imediato e esteja concluído até 30 de abril. O Ministério da Saúde diz também que vai duplicar o apoio económico que é dado aos hospitais com VMER.

  • Ministro garante VMER no Amadora-Sintra em março
    0:25

    País

    O Hospital Amadora-Sintra vai ter uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação a partir do inicio do próximo mês. A garantia foi dada esta manhã pelo ministro da Saúde, no final de uma reunião com o presidente da Câmara de Sintra.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08