sicnot

Perfil

País

Troca de botija de gás sem restrições a partir de hoje

A troca da botija de gás passa a partir de hoje a poder ser feita em qualquer ponto de venda independentemente da marca, sem custos adicionais para os consumidores, com o objetivo de aumentar a concorrência neste mercado.

O presidente da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC), Paulo Carmona, explicou à Lusa que a nova lei põe um ponto final à fidelização que obrigava a manter o fornecedor de gás e, ao facilitar a mudança, os consumidores podem aproveitar as melhores ofertas no mercado, ao nível de preço e de serviço, o que aumenta a concorrência.

A nova lei obriga todos os distribuidores e operadores retalhistas de GPL engarrafado a receberem e a trocarem garrafas vazias, independentemente da marca, sem encargos adicionais para o consumidor.

Do pacote de alterações introduzidas pela Lei do Setor Petrolífero fica por implementar a mais polémica: a comercialização de gás engarrafado a peso, isto é, a devolução em dinheiro do equivalente ao gás que fica no fundo da botija ao cliente, que não tem ainda data para avançar.

Em janeiro, o Governo estava à procura de uma solução "segura", estando a ser realizados "estudos que permitam tornar exequível esta modalidade de comercialização", adiantou à Lusa fonte do Ministério da Economia, que tem a tutela do setor, afirmando tratar-se "de um processo com elevada complexidade técnica".

Entretanto, já foi encontrada uma solução que está a ser objeto de consulta no sentido de ser assegurada a exequibilidade, tendo em conta, nomeadamente, as questões de segurança e de logística.

Fonte do Ministério da Economia disse à Lusa que se "encontra em consulta na ENMC o projeto de portaria a ser apresentado para aprovação", recusando-se a dar mais detalhes sobre a proposta.

A Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro) alertou que a devolução em dinheiro do equivalente ao gás que fica no fundo da botija conduzirá "inevitavelmente a acidentes", realçando que a segurança será o aspeto mais crítico da medida.

Lusa

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • Governo formaliza pedido para pagamento antecipado ao FMI
    0:34

    Economia

    Mário Centeno formalizou esta terça-feira o pedido aos ministros europeus das Finanças para que autorizem o pagamento antecipado de dez mil milhões de euros ao FMI. Em entrevista à Bloomberg, o ministro descartou ainda qualquer renegociação da dívida portuguesa após a saída do Procedimento por Défice Excessivo (PDE). No final da reunião do ECOFIN, foi o Secretário de Estado Mourinho Félix quem falou aos jornalistas portugueses.

  • Governo garante que não autoriza despedimentos na PT
    2:27

    Economia

    O primeiro-ministro garantiu esta terça-feira no debate quinzenal, que não dará luz verde a eventuais despedimentos na PT. António Costa disse ainda que o país tem pouca margem orçamental, apesar da saída do Procedimento por Défice Excessivo.

  • Donald Trump já está no Vaticano 
    1:32