sicnot

Perfil

País

Câmara de Lisboa levanta redução de horários a 22 bares do Bairro Alto e Cais do Sodré

A Câmara de Lisboa anunciou esta quarta-feira ter levantado a redução de horários a 22 dos 25 bares do Bairro Alto e Cais do Sodré que tinham sido obrigados a fechar mais cedo por problemas de "ruído e incomodidade".

Cais do Sodré, o mais recente local da moda, na noite em Lisboa.

Cais do Sodré, o mais recente local da moda, na noite em Lisboa.

O vice-presidente da autarquia, Duarte Cordeiro (PS), explicou que os estabelecimentos a que foi levantada a sanção "comprometeram-se a cumprir as normas e as regras" de ruído e do espaço público, bem como a "alterar o seu comportamento".

Durante "pelo menos 15 dias", desde a notificação feita no final de janeiro, estes estabelecimentos tiveram de fechar às 00:00 durante a semana e às 2:00 ao fim de semana, mas em "muitos casos houve 30 dias de restrição" de horário, de acordo com o autarca.

Os três estabelecimentos que continuam nesta situação "não responderam à notificação", justificou.

No final de janeiro, a Polícia Municipal entregou aos comerciantes um despacho assinado por Duarte Cordeiro que restringia os horários devido à "incomodidade" originada pelo "ruído provocado pelo funcionamento dos referidos estabelecimentos, dentro e para além do horário autorizado".

No documento, a que a Lusa teve acesso, o vice-presidente do município indicava que as fiscalizações realizadas e as reclamações/exposições feitas por moradores evidenciavam alguns estabelecimentos como "muito problemáticos" para a "degradação ambiental e a consequente limitação do direito ao descanso e à tranquilidade".

Em causa estão bares localizados nas ruas da Atalaia, da Barroca, do Diário de Notícias, da Rosa e Luz Soriano (Bairro Alto) e nas ruas dos Remolares, Ribeira Nova e Nova do Carvalho, conhecida como Rua Cor-de-Rosa, bem como na praça de São Paulo (Cais do Sodré).

Duarte Cordeiro disse que sanções semelhantes têm sido aplicadas a bares da Bica, Santos e Cais do Sodré, mas costumam obrigar os comerciantes a fechar mais cedo apenas num dia, normalmente ao fim de semana.

Desta vez, a medida foi "muito mais violenta do que o habitual", reconheceu Duarte Cordeiro, salientando, contudo, que o município não quer "prejudicar negócios".

O objetivo é antes "originar mudanças", insistiu.

As palavras não convencem, porém, alguns comerciantes, como é o caso de Cristóvão Caxaria.

O também representante do movimento Lisboa Com Vida, que junta alguns estabelecimentos com menor dimensão do Cais do Sodré, afirmou ter tido "milhares de euros de prejuízo" no período em que o seu bar teve de encerrar mais cedo, o que também aconteceu com outros comerciantes, que "não tinham dinheiro para pagar aos fornecedores".

Por seu turno, o presidente da Associação de Comerciantes do Bairro Alto, Hilário Castro, defendeu que "as medidas não foram devidamente acauteladas", já que, a seu ver, as situações podiam ter sido resolvidas com ações de sensibilização.

No futuro, a autarquia pretende "tornar pública a forma como aplica as sanções", razão pela qual vai criar uma "escala sancionatória para que os comerciantes tenham conhecimento das infrações que cometem", revelou Duarte Cordeiro, sustentando que isso também permitirá aos moradores estarem atentos.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.