sicnot

Perfil

País

Investigadora suspeita de manipulação do trabalho suspende funções

A direção do i3S - Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, no Porto, disse hoje ter iniciado um processo de análise ao caso da investigadora Sónia Melo, suspeita de manipulação do seu trabalho, recorrendo a uma Comissão Externa.

Sónia Melo em entrevista à SIc Notícias a 22 de fevereiro de 2016

Sónia Melo em entrevista à SIc Notícias a 22 de fevereiro de 2016

"Sónia Melo decidiu, com o acordo da direção e do coordenador do grupo onde está integrada, suspender as suas funções de Investigadora Principal no i3S até conclusão desse inquérito", esclareceu hoje o i3S, em comunicado.

Na sua edição de hoje, o Público revela que Sónia Melo, que até há bem pouco tempo era apontada como uma das mais promissoras investigadoras do país, enfrenta agora acusações de manipulação do seu trabalho, que já a levaram a retirar um artigo publicado na revista Nature Genetics em 2009.

De acordo com o diário, há outros quatro artigos científicos ('papers') por si publicados desde então que estão sob suspeita. Face às acusações, a Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO, na sigla em inglês), que em dezembro lhe tinha atribuída uma bolsa de 50 mil euros, retirou-lhe o prémio na segunda-feira.

Em comunicado hoje emitido, a direção do i3S esclarece que "a suspensão de Sónia Melo afeta atos inerentes à função de Investigador Principal, não afetando a atividade corrente da investigadora Sónia Melo no seio do grupo de investigação onde está inserida".

"A Comissão Externa, constituída por elementos externos e independentes, emitirá um parecer com base no qual será tomada uma decisão da direção do i3S no que respeita ao vínculo que a investigadora terá com esta unidade de investigação afeta à FCT e à Universidade do Porto", acrescenta.

A direção do i3S considera ainda que, "de momento, é prematuro pronunciar-se sobre qualquer detalhe processual, reafirmando o seu desejo de ver o assunto esclarecido no mais curto espaço de tempo possível".

Afirma ter "conhecimento das alegações" e que "tem estado a monitorizar a discussão acerca da integridade científica nos trabalhos de Sónia Melo, que antecedem a inclusão da investigadora numa equipa desta unidade de investigação".

De acordo com o Público, as dúvidas sobre o trabalho científico de Sónia Melo foram levantadas pela primeira vez no final de setembro do ano passado, no PubPeer, um site que se dedica a fazer revisão de pares após publicação ('post-publication peer review', na gíria técnica).

O portal divulgou então os primeiros indícios de que a investigadora tinha repetido imagens microscópicas de uma mutação genética de um cancro, num artigo de 2009. Nos dias seguintes, noutras publicações na mesma plataforma, os autores apresentaram outras provas, sugerindo que o processo seria sempre semelhante: a cientista repetia, invertia e fazia rotações das mesmas imagens, de modo a reforçar a solidez dos resultados alcançados na sua investigação.

A 27 de janeiro deste ano, Sónia Melo assumiu a duplicação de imagens, numa "notícia de retração" publicada na mesma revista científica.

A agência Lusa tentou hoje, sem sucesso, falar com a cientista, que, entretanto, ao site 'Retraction Watch Sónia Melo' tinha garantido "não ter havido um esforço para cometer fraude".

"Lamento a falta de diligência que mostrei com o manuscrito da Nature Genetics, o meu primeiro artigo como estudante de doutoramento", justificava a investigadora.

A direção do i3S admitiu hoje que teve conhecimento antecipado da retratação do trabalho de 2009 na Nature Genetics, bem como dos argumentos que levaram a essa opção.

A EMBO (European Molecular Biology Organization), organização com a qual o i3S tem estado em contacto permanente, desencadeou um processo de reavaliação da candidatura à EMBO Installation Grant que havia concedido à investigadora. A EMBO deu agora conta das conclusões do inquérito e informou o i3S que irá cancelar esse contrato de financiamento.

Citado pelo Público, o cientista espanhol Manel Esteller, orientador de Sónia Melo no Ibibell e co-autor da publicação assegura apenas: "Quando foi detetada uma apresentação inadequada de parte dos dados desse estudo, decidimos apoiar a retração do artigo, para preservar os padrões de alta qualidade científica que sempre nos caracterizaram".

Lusa

  • Mulheres na Ciência
    7:18

    Edição da Manhã

    Já são conhecidas as vencedoras do prémio Mulheres na Ciência, atribuido anualmente pela Comissão Nacional da UNESCO, Fundação para a Ciência e a Tecnologia e a L'Oreal Portugal. Este ano, a escolha recaiu sobre trabalhos nas áreas do cancro, AVC e descontaminação da água por medicamentos. Sónia Melo e Raquel Ferreira, duas das vencedoras, estiveram na Edição da Manhã.

  • Investigadora portuguesa descobre como cancro "infeta" células saudáveis
    2:05

    País

    Uma investigadora da Universidade do Porto descobriu o mecanismo que pode levar as células cancerígenas a "infetar" células normais vizinhas. O estudo liderado pela investigadora Sónia Melo, do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular do Porto (Ipatimup), abre novas possibilidades na deteção, monitorização e tratamento do cancro.

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • As crianças que estão a morrer à fome em África

    Mundo

    A UNICEF alertou esta terça-feira que a má nutrição aguda que afeta a Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iémen coloca este ano em "iminente" risco de morte 1,4 milhões de crianças devido à fome que existe naqueles países. São milhares de casos de um incessante desespero numa luta diária pela sobrevivência.

  • Mundo tornou-se "mais sombrio e mais instável" em 2016

    Mundo

    O mundo tornou-se em 2016 "um local mais sombrio e mais instável", devido ao agravamento de conflitos como a Síria e dos "discursos do ódio" na Europa e Estados Unidos, considerou hoje a Amnistia Internacional no seu relatório anual.

  • Semáforos no chão para os mais distraídos

    Mundo

    Na cidade holandesa de Bodegraven, está a ser testado um sistema de semáforos para quem usa o telemóvel na rua. Estes semáforos têm a forma de faixas, que são colocadas no chão, e a luz muda de cor consoante o trânsito, tal como os semáforos já existentes.

    André de Jesus

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.

  • Cães desfilam no Rio de Janeiro
    1:00

    Mundo

    O tradicional cortejo de Carnaval brasileiro só acontece daqui a uns dias, mas no Rio de Janeiro já há inúmeros desfiles pelas ruas. Na praia de Copacabana, os animais mascararam-se de humanos.