sicnot

Perfil

País

Resultado final da autópsia a Rodrigo Lapa deverá demorar de seis a oito semanas

Resultado final da autópsia a Rodrigo Lapa deverá demorar de seis a oito semanas

A autópsia a Rodrigo Lapa, de 15 anos, revela que terá sido estrangulado com um cabo elétrico, mas os peritos forenses aguardam ainda alguns exames complementares. A mãe que ontem saiu da judiciária em liberdade, por falta de indícios que a liguem ao crime, manteve-se resguardada e em silêncio, durante todo o dia, na casa de uma vizinha.

  • Padrasto do jovem encontrado morto é o principal suspeito
    2:37

    País

    O jovem que estava desaparecido há pouco mais de uma semana, em Portimão, foi assassinado. O padrasto, que viajou para o Brasil no dia do desaparecimento, é o principal suspeito. Rodrigo, de 15 anos, foi encontrado, esta manhã, sem vida a menos de 100 metros de casa. A mãe foi interrogada pela Polícia Judiciária e saiu em liberdade por não haver indícios que justifiquem uma detenção.

  • Rodrigo estava desaparecido há uma semana
    2:44

    País

    Rodrigo estava desaparecido há mais uma semana. Na segunda-feira da semana passada, o jovem terá saído de manhã para a escola, mas nunca lá chegou. Hoje, o corpo foi encontrado a poucos metros de casa.

  • Padrasto de Rodrigo pode não ser julgado pelo crime caso seja suspeito
    1:55

    País

    Caso se confirme que o padrasto é suspeito da morte de Rodrigo, o homem poderá não ser julgado por este crime. Trata-se de um cidadão brasileiro e terá viajado para Fortaleza no dia do desaparecimento do adolescente. A lei deste país não permite a extradição de cidadãos brasileiros para outros Estados. O homem teria conflitos com o enteado que publicou algumas mensagens no Facebook dias antes de desaparecer. Nos últimos tempos o jovem dava sinais, nesta rede social, de alguns problemas pessoais.

  • Amiga do pai de Rodrigo fala em relação difícil entre o rapaz e o padrasto
    1:44

    País

    O adolescente encontrado morto em Portimão foi autopsiado esta manhã. O resultado ainda não é conhecido, mas o corpo de Rodrigo Lapa apresentava evidentes sinais de violência. O padrasto é o principal suspeito e viajou para o Brasil. A mãe foi ouvida pela Polícia Judiciária mas está em liberdade. A SIC falou com uma amiga do pai de Rodrigo que diz que o rapaz se queixava de maus tratos por parte do padrasto.

  • PJ na casa do jovem encontrado morto em Portimão

    País

    A Polícia Judiciária está na casa onde viva Rodrigo Lapa, o jovem encontrado hoje, sem vida, depois de ter desaparecido há mais de uma semana. No local estão vários inspetores e elementos da polícia científica. As autoridades delimitaram um perímetro de segurança.

  • Joaquim Lara Pinto, principal suspeito da morte de Rodrigo
    2:17

    País

    Joaquim Lara Pinto é o principal suspeito da morte de Rodrigo Lapa. O homem de 42 anos estava desempregado. Viajou para o Brasil no dia em que Rodrigo, de 15 anos, desapareceu. A viagem tinha sido comprada há cerca de um mês. A mãe reafirma que Rodrigo e o padrasto tinham uma relação cordial.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras