sicnot

Perfil

País

Santos Silva diz que anterior Governo se ajoelhou perante a Alemanha sem necessidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros acusou hoje o anterior Governo (PSD/CDS-PP) de se ajoelhar perante a Alemanha quando tal não era necessário e defendeu a necessidade de políticas económicas que favoreçam o crescimento do emprego e a consolidação orçamental.

MANUEL DE ALMEIDA

"É muito fácil ser ambicioso quando se está de fora e costuma ser inversamente proporcional a quando se estava de dentro. É natural que aqueles que se caracterizaram pelo seguidismo e pela - vamos dizer assim - suavidade quando tinham obrigação de lutar pelos interesses europeus e pelos interesses portugueses na Europa se caracterizem agora pela ambição e queiram que os outros façam já mil vezes mais do que eles conseguiram fazer", disse Augusto Santos Silva, durante o debate na especialidade da proposta de Orçamento de Estado para 2016, com as comissões parlamentares de Orçamento e Finanças e de Assuntos Europeus.

"Não vale agora querermos invadir a Alemanha porque a Alemanha resiste ao seguro de depósito de garantia. Bastava não termos ido ajoelhar perante a Alemanha em momentos em que esse ajoelhamento não era necessário", afirmou o "número dois" do Governo socialista.

Para Santos Silva, "a questão mais importante é saber se somos ou não determinados na combinação de políticas económicas que favoreçam o crescimento de emprego e políticas económicas que favoreçam também a consolidação orçamental".

Dirigindo-se ao deputado do PSD Miguel Morgado, que acusou o Governo de evidenciar uma "extraordinária, espantosa e surpreendente falta de ambição", o chefe da diplomacia disse que os sociais-democratas "esquecem as primeiras, porque supostamente as segundas seriam por si mesmas miraculosas".

Na sua intervenção inicial, o ministro apontou que Portugal foi pioneiro na apresentação de um esboço de orçamento em Bruxelas, no âmbito do chamado semestre europeu, o que permitiu "incorporar na proposta de lei que o Governo apresentou à Assembleia da República o resultado das discussões técnicas e das avaliações que foi possível ter ou suscitar com o conjunto das autoridades europeias", algo que, acrescentou, não "beliscou a soberania nacional".

Lusa

  • Novo dia de protestos contra expropriações na ilha do Farol
    2:30

    País

    A sociedade Polis Ria Formosa concluiu a tomada de posse das construções identificadas como ilegais na ilha do Farol, na Ria Formosa, em Faro. No segundo dia da operação, sob fortes protestos da população, os técnicos da Polis, escoltados pela Polícia Marítima, expropriaram hoje mais 18 construções.

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira