sicnot

Perfil

País

Congresso do PCP realiza-se em dezembro em Almada

O XX Congresso do PCP vai realizar-se em Almada, entre 2 e 4 de dezembro, anunciou hoje o secretário-geral, Jerónimo de Sousa, após reunião do Comité Central comunista, em Lisboa.

PEDRO NUNES

"[O Comité Central] definiu linhas de orientação que constituem a base para a reflexão e discussão das organizações e militantes e definiu três fases, abrindo o debate a todo o partido, convocando o conjunto de militantes e das organizações à participação neste ímpar, amplo e profundo processo democrático", disse o líder do PCP, em conferência de imprensa, na sede nacional de Lisboa.

À semelhança de 2012, o evento magno do partido que comemora domingo 95 anos regressa àquela cidade da margem sul do Tejo, no Complexo Municipal de Desportos almadense, sob o lema "PCP com os trabalhadores e o povo, democracia e socialismo".

Jerónimo de Sousa anunciou ainda outras três iniciativas em breve de "debate, estudo e reflexão": um seminário (22 março) sobre "controlo público da banca", uma sessão sobre renegociação da dívida (5 abril), com apresentação de iniciativas legislativas, e uma "iniciativa pela libertação do país da submissão ao euro (10 maio)".

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18