sicnot

Perfil

País

Presidente eleito promete defender cargo do esvaziamento da política

A quatro dias de ser empossado Presidente da Republica, Marcelo Rebelo de Sousa promete defender o cargo do esvaziamento da política.

Marcelo Rebelo de Sousa, futuro Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa, futuro Presidente da República.

M\303\201RIO CRUZ

Num artigo publicado hoje pelo semanário Expresso, Marcelo Rebelo de Sousa diz que, nas últimas décadas, em Portugal como noutros países, a política pura tem dado lugar às finanças mais do que à economia e ao social.

A globalização e as vicissutudes da União Europeia têm acentuado a relativização da política, um esvaziamento que não é o futuro, diz o próximo chefe de Estado que toma posse na próxima quarta-feira, mês e meio depois de ser eleito com 52 por cento dos votos.

"E, no entanto, o esvaziamento da política e, por maioria de razão, da cultura que deve estar-lhe subjacente, não pode ser uma solução de futuro", escreve o próximo Presidente da República (PR), que toma posse na quarta-feira.

Para Marcelo Rebelo Sousa, a "coincidência" dessa "relativização da política" com "o aparecimento de novas formas e novos apelos de participação criam um choque que pode questionar as democracias".

Sobre os desafios do mandato que se prepara para assumir, diz que ao longo dos próximos cinco anos, considerando que "o que verdadeiramente importa" neste momento "é que o legado a receber seja preservado e atualizado, respeitando o espírito republicano, ajudando a recriar a democracia e mantendo viva, livre e justa uma pátria que só o será se cada um dos que a integram puder viver em liberdade e com justiça".

Ao longo do texto, o PR eleito considera que há "lições" a retirar dos últimos 40 anos, em que Portugal passou a viver em democracia, destacando, entre outras, "a capacidade revelada pela Constituição", no que toca ao estatuto do Presidente, "para se adaptar a muito variadas situações eleitorais, governativas, financeiras, económicas e sociais".

Para Rebelo de Sousa, o Presidente português tem "um poder moderado em períodos de normalidade político-constitucional, mas "poderes extraordinários em períodos de crise".

Para Marcelo Rebelo de Sousa, todos os Presidentes da República dos últimos 40 anos tiveram "o inequívoco mérito" de enriquecer o legado do cargo.

"Só a perspetiva histórica autorizará juízos definitivos. Mas uma das principais lições das quatro presidências é a de que, mesmo quando os termos dos seus segundos mandatos foram agitados e controvertidos - e foram-nos todos -, o distanciamento subsequente acabou por fazer avultar os balanços indubitavelmente positivos dos consecutivos desempenhos", considera.

  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço dos professores
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50