sicnot

Perfil

País

Trio acusado de matar em negócio de droga conhece acórdão na quarta-feira

Três arguidos, dois deles irmãos, acusados pelo Ministério Público (MP) de matarem um homem em janeiro de 2015, em Caneças, por causa de um negócio de droga, conhecem o acórdão na quarta-feira, no Tribunal de Loures.

Os três homens têm idades entre 31 e 36 anos e dois encontram-se em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Lisboa. Um dos arguidos é reincidente, pois já cumpriu pena de prisão efetiva por tráfico de droga.

Segundo o despacho de acusação do MP, a que a agência Lusa teve acesso, a vítima tinha consigo dois quilogramas de canábis, que pretendia negociar com os dois irmãos, uma vez que sabia que estes se dedicavam à venda de estupefacientes.

Após vários contactos, ofendido e arguidos marcaram um encontro junto à casa dos últimos, na noite de 15 de janeiro.

"Nesse dia, os arguidos já haviam formulado o plano de, caso o estupefaciente fosse do seu agrado, ficarem com o mesmo sem efetuarem o respetivo pagamento, acordando que, para o efeito, teriam de tirar a vida a Alexandre Sousa, de modo a que, mais tarde, não lhes exigisse o pagamento", conta o MP.

Contudo, como o homem foi com um amigo, os arguidos recusaram negociar e pediram que voltasse no dia seguinte, mas sozinho.

O ofendido deslocou-se no dia seguinte na companhia do mesmo amigo, que ficou à sua espera na zona da Quinta da Fonte Santa, enquanto o homem conduziu em direção à casa dos arguidos.

A acusação sustenta que os arguidos, além de exigirem à vítima que comparecesse só, "já tinham decidido" que iriam manietá-la, retirar-lhe o estupefaciente e, de seguida, levá-la para um local ermo no seu próprio veículo e aí matá-la com uma arma de fogo.

O plano passava, depois, por destruir o veículo onde seguia a vítima, razão pela qual os arguidos adquiriram gasolina.

"Os arguidos (dois irmãos) acordaram ainda em pedir a colaboração do arguido [...], a quem deram conhecimento do seu plano de intenções e ao qual este aderiu", frisa o MP.

De acordo com a acusação, a necessidade de um terceiro arguido prendia-se com o facto de um deles ter de ficar encarregue da segurança do estupefaciente, enquanto os outros dois "procedessem aos atos necessários a causar a morte" de Alexandre Sousa e a "destruir" todos os vestígios que os pudessem ligar ao homicídio.

Assim, na noite de 16 de janeiro, enquanto um dos irmãos ficou em casa a guardar a droga, os dois outros elementos, após atarem as mãos e os pulsos da vítima, obrigando-a a entrar na sua própria viatura, conduziram por um caminho de terra batida. Um dos arguidos levou o automóvel da vítima e outro seguiu na sua viatura.

Chegados a um local de difícil acesso, retiraram Alexandre Sousa do carro e mantiveram-no manietado, tendo um deles efetuado dois disparos na direção da cabeça da vítima, que viria a falecer no dia seguinte, relata o MP.

De seguida, os dois homens conduziram cerca de cinco quilómetros, até Almargem do Bispo (Sintra), onde regaram a viatura da vítima com gasolina e lhe atearam fogo.

Os três arguidos respondem em coautoria por homicídio e roubo qualificados, sequestro e tráfico de droga.

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria" é a Reportagem Especial de hoje.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34
  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.