sicnot

Perfil

País

Crianças de lar onde ocorreu derrame de ácido serão alojadas noutros locais

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, entidade responsável pelo lar juvenil onde hoje quatro mulheres sofreram ferimentos ligeiros na sequência de um derrame de ácido, informou que as crianças vão ser alojadas noutros espaços esta noite.

Arquivo

Arquivo

SIC

Apesar de os bombeiros já terem garantido que foram restabelecidas as condições de segurança, "a Santa Casa vai redistribuir as crianças pela sua rede de casas de acolhimento para passarem esta noite", adiantou à Lusa fonte da Santa Casa da Misericórdia.

No local onde ocorreu o incidente não estava presente nenhuma das 12 crianças moradoras no lar, que àquela hora se encontravam na escola, e as vítimas são funcionárias da instituição, explicou.

Segundo fonte do Hospital de S. José, local para onde foram transportadas as vítimas pelo Instituto Nacional de Emergência Médica, apenas três mulheres se encontram em observação, tendo uma delas já recebida alta.

Os bombeiros disseram à Lusa que o incidente ocorreu num lar situado na Rua Ribeiro Sanches.

Perto das 16:30, esta via estava parcialmente cortada ao trânsito. Nas ruas Presidente de Arriaga e do Olival ainda não era possível circular de automóvel.

Entre outros meios envolvidos, no local estiveram uma ambulância de emergência médica e uma viatura de suporte imediato de vida.

Pelas 16:30 mantinham-se ainda a PSP, os bombeiros e a Proteção Civil.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.