sicnot

Perfil

País

14% das portuguesas vítimas de assédio no trabalho

14% das portuguesas vítimas de assédio no trabalho

A proporção de mulheres que admite ter sido vítima de assédio no local de trabalho diminuiu, em 25 anos, de 34% para cerca de 14%, tendo hoje maior capacidade de reação, muitas vezes através do confronto direto. Os números têm diminuído nos últimos anos, mas agora quase todas as vítimas são assediadas pelas chefias e não por colegas de trabalho.

Os dados constam do estudo "Assédio Sexual e Moral no Local de Trabalho em Portugal", desenvolvido pelo Centro Interdisciplinar de Estudos de Género, do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, e da responsabilidade da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.