sicnot

Perfil

País

Vela pode estar na origem do incêndio na Cova da Moura

O incêndio que vitimou, hoje de madrugada, um homem, de 74 anos, e uma mulher, com 73, numa casa na Cova da Moura, pode ter sido originado por uma vela, admitiu o comandante dos Bombeiros Voluntários da Amadora.

"Provavelmente foi uma vela, porque a casa tinha lixo até ao teto e não tinha eletricidade, portanto, aquilo foi uma vela que ficou para ali", disse à Lusa o comandante Mário Conde.

O fogo na casa de piso térreo na Rua das Hortas, no centro do bairro da Cova da Moura, deflagrou pelas 04:05 e provocou a morte aos dois moradores, que foram retirados inconscientes da habitação e assistidos no local por uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

"A extinção do fogo foi rápida, o rescaldo é que foi mais complexo devido ao que a habitação tinha lá dentro", descreveu o comandante dos bombeiros, acrescentando que o sinistro foi extinto em cerca de meia hora.

Mário Conde apontou que "havia meio metro entre o teto e o lixo", sublinhando a enorme quantidade de resíduos, sacos, roupas e objetos e lixo que se encontravam no interior da habitação.

Um vizinho que morava ao lado da casa também sofreu ferimentos ligeiros, "por intoxicação de fumos, mas foi assistido no local e não foi preciso ir ao hospital", adiantou.

"Supõe-se, pelas informações que temos, que tenha sido uma vela a provocar o fogo", confirmou o comandante do Serviço Municipal de Proteção Civil da Amadora, Luís Carvalho, embora notando que a investigação se encontra a cargo da Polícia Judiciária.

Segundo Mário Conde, as principais dificuldades no combate ao sinistro derivaram dos "efeitos da combustão, dos fumos, porque labareda não houve muita" e "o fogo foi extinto sem grande dificuldade, o grande problema foi o acesso à habitação".

"Aquela situação não estava identificada pela assistente social. O filho sabia, mas a nível de instituições ninguém sabia de nada", adiantou o comandante dos bombeiros, em relação à situação de acumulação de objetos no interior da residência.

O responsável da Proteção Civil esclareceu que, apesar de alguns moradores referirem que já tinham avisado para a situação dos idosos, "os serviços de Ação Social, que possuem uma intervenção mais visível, não tinham o caso sinalizado".

"Estamos a fazer operações de limpeza, mas dada uma grande acumulação de lixo vamos prolongar os trabalhos até ao final do dia", revelou Luís Carvalho, frisando que a demora também decorre das necessidades de recolha de elementos pelas autoridades policiais.

Os bombeiros da Amadora desalocaram para o combate ao fogo seis viaturas e 18 voluntários e no local estiveram ainda elementos do INEM, do Serviço Municipal de Proteção Civil, da PSP e da Polícia Judiciária, para investigar as causas do incêndio.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.