sicnot

Perfil

País

Gasto médio por turista no Porto e no Norte mantém-se nos 68 euros por noite

O gasto médio de cada turista que em 2015 visitou o Porto e o Norte manteve-se nos 68 euros por noite, sendo os norte-americanos e brasileiros os que mais gastam e permanecem na região, segundo um estudo divulgado esta sexta-feira.

© Reuters Photographer / Reuter

De acordo com as conclusões do trabalho desenvolvido pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com o Turismo do Porto e Norte de Portugal e o Aeroporto do Porto, os turistas norte-americanos tiveram no ano passado um consumo médio por pessoa/noite de 122 euros, seguindo-se os brasileiros e os italianos.

Pelo contrário, os turistas luxemburgueses, suíços, belgas e franceses apresentaram os consumos unitários mais baixos, apesar de serem dos mercados com maior duração da estada, o que é atribuído ao "elevado peso" do segmento de visita a familiares/amigos nestes quatro mercados.

Globalmente, durante o ano 2015 o gasto médio por turista na visita ao Porto e Norte de Portugal foi de 447 euros.

Segundo as conclusões do estudo, 37% dos turistas viajaram para a região para visitar familiares e amigos, 36% por motivo de férias e 25% em negócios, sendo que os que se deslocaram em férias fizeram-no em short-breaks (curtas viagens) e destacaram o descanso, a gastronomia e os vinhos como os principais atributos do Porto e Norte.

O trabalho revela ainda que 89% destes turistas declararam não ter ponderado outros destinos quando decidiram fazer férias no norte do país e que os que admitiram escolher outros locais ponderaram Espanha, França e Itália, tendo optado por Portugal "devido aos preços e à curiosidade".

França, Espanha e Suíça (com cerca de 65% de quota de mercado) foram, de acordo com o trabalho, os principais mercados emissores de turistas estrangeiros para o Porto e Norte de Portugal através do aeroporto do Porto, destacando-se a Ryanair e a TAP como as companhias aéreas mais utilizadas (com uma quota de mercado de 63%) e as companhias 'low cost' [de baixo custo] como responsáveis por 55% do tráfego de turistas.

Com idades compreendidas entre os 26 e os 50 anos, 64% dos turistas que visitaram o Porto e Norte de Portugal em 2015 eram casados ou viviam em união de facto e tinham um rendimento médio maioritariamente entre 2.000 e 3.000 euros, tendo-se manifestado satisfeitos com a viagem à região (6,12 pontos, numa escala de 1 a 7) e com intenção de recomendar o destino.

Os dados esta sexta-feira divulgados evidenciam ainda o domínio da Internet e dos familiares/amigos como os meios mais utilizados para obter informação sobre a região, seguindo-se as agências de viagens e os guias e roteiros turísticos.

Em 2015, tal como nos anos anteriores, os locais com maior incidência de pernoita de turistas foram o Porto, Vila Nova de Gaia, Braga, Maia, Guimarães, Matosinhos, Póvoa do Varzim e Viana do Castelo.

Quanto à tipologia de alojamento, destacaram-se o hotel e a casa de familiares/amigos, assumindo também "alguma importância" as unidades de alojamento local (pensões/hostels/residenciais) e as segundas residências.

Os turistas em negócios foram os que passaram menos tempo na região, enquanto os turistas de visita a familiares/amigos foram os que mais permaneceram, sendo que em 2015 foi "notória uma tendência" de aumento da estada média dos segmentos em turismo e de diminuição dos turistas em negócios.

Os turistas estrangeiros do Porto e Norte deslocaram-se na região utilizando sobretudo o automóvel, seguido do táxi, do metro e dos autocarros de transporte público, tendo-se sobretudo dedicado a experimentar a gastronomia e os passeios de carro, a apreciar a natureza/paisagem, a viver a animação noturna e às compras.

Do trabalho resulta ainda que a maioria dos turistas internacionais do Porto e Norte de Portugal eram repetentes da visita, com cerca de 70% a afirmar já ter visitado a região, sobretudo para visita a familiares/amigos.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho