sicnot

Perfil

País

"É um momento especial para Assunção Cristas"

"É um momento especial para Assunção Cristas"

Foram estas as palavras de Paulo Portas à chegada ao congresso do CDS-PP. Reunião magna iniciou-se às 11:30 em Gondomar.

O congresso aplaudiu então, de pé, a chegada do presidente do partido e seguiu-se a apresentação de um pequeno vídeo com imagens de congressos anteriores.

O primeiro dia de trabalhos deverá ficar marcado pelo discurso de despedida de Paulo Portas, que não se recandidata à liderança do partido a que presidiu durante 16 anos.

Paulo Portas tornou-se líder do CDS-PP em 1998, no Congresso de Braga, tendo estado afastado da direção centrista por apenas dois anos, entre 2005 e 2007, durante a liderança de José Ribeiro e Castro.

A intervenção do ainda presidente dos democratas-cristãos está marcada para cerca das 12:40.

Assunção Cristas, que deverá suceder a Paulo Portas, irá intervir à tarde no primeiro dia de trabalhos.

Neste arranque do Congresso, ainda no período da manhã, haverá intervenções do secretário-geral do CDS-PP, António Carlos Monteiro, do coordenador autárquico, Domingos Doutel, do líder parlamentar, Nuno Magalhães, e de Nuno Melo, que se retirou da corrida à liderança do CDS-PP, e que irá apresentar o relatório dos deputados ao Parlamento Europeu.

A até agora única candidata à liderança Assunção Cristas discursa ao Congresso à tarde, a partir das 15:00, no período reservado à apresentação das moções de estratégia global -- dez no total - para dar a conhecer o seu documento de 31 páginas, com o título "Ambição e Responsabilidade".

  • SIC e SIC Notícias no 26º Congresso do CDS-PP
    0:56

    País

    Paulo Portas tornou-se líder do CDS-PP no ano de 1998, no congresso realizado em Braga. Afastou-se da direção do partido durante dois anos, entre 2005 e 2007, durante a liderança de José Ribeiro e Castro. No próximo sábado despede-se numa intervenção perante o 26º Congresso dos centristas que deverá escolher Assunção Cristas como sua sucessora. A SIC e a SIC Notícias acompanham o congresso deste fim de semana.

  • Manuel Monteiro diz que o CDS "não pode ser uma cópia menor do PSD"
    3:27

    País

    Manuel Monteiro considera que Paulo Portas foi uma grande desilusão. Em entrevista exclusiva à SIC, o antigo líder do CDS diz que não resta quase nada do partido que deixou em 98 e diz que o CDS não pode ser uma cópia menor do PSD. Reconhece que em alguns aspectos Nuno Melo seria melhor que Assunção Cristas e revela que recusou recentemente um convite de dirigentes do CDS para voltar a filiar-se no partido.