sicnot

Perfil

País

Passageiros já "acham normal" constantes avarias no Metro de Lisboa

Escadas rolantes com avarias crónicas, passadeiras sempre paradas e elevadores avariados são o dia-a-dia dos utilizadores do Metropolitano de Lisboa, que já se habituaram e deixaram de reclamar, segundo um representante dos utentes.

reuters

O coordenador do Movimento dos Utentes dos Serviços Públicos (MUSP), Rui Monteiro, resumiu a situação, afirmando: "chegámos a um ponto em que o normal é não funcionar".

Os casos mais recorrentes verificam-se nas estações da Baixa-Chiado, do Rato, Alameda, Olivais e Areeiro.

"Nos Olivais, há um conjunto de problemas desde o início: as escadas rolantes estão sistematicamente avariadas e, no sentido São Sebastião - Aeroporto, há quatro acessos, mas só dois é que estão abertos", disse Rui Monteiro.

Alguns lanços de escadas rolantes "sempre encerrados" na Baixa-Chiado e no Rato, "duas das estações mais profundas da rede", foram também apontados pelo coordenador do MUSP, bem como as obras "paradas há mais de dois anos" no Areeiro.

Para Rui Monteiro, a manutenção no Metro "é feita de forma muito deficiente", pelo que "há sempre avarias e qualquer reparação leva muito tempo".

O MUSP recebe "algumas reclamações esporádicas", porque "as pessoas já nem se dão ao trabalho de reclamar".

"Há alguma resignação. Já acham normal", lamentou.

Também o porta-voz do Movimento dos Utentes do Metropolitano de Lisboa considerou que os "passageiros se acomodaram à situação", mas defendeu que "têm de lutar pelos seus direitos", porque "pagam um serviço que é prestado com uma grande degradação crescente".

"O preço do bilhete aumentou, não me parece que seja justo pagar e ter sempre algum acesso avariado", disse Aristides Teixeira, para quem "a manutenção pressupõe uma atitude de prevenção. No metro isso não existe. Só intervêm após as avarias", acrescentou.

Afirmando que grávidas, idosos e pessoas com mobilidade reduzida encontram estas dificuldades, o porta-voz daquele movimento afirmou que "não há confiança no sistema de acesso ao metro".

Segundo Aristides Teixeira, uma das passadeiras rolantes da Alameda está parada há muito tempo, assim como o tapete rolante do Areeiro.

Em declarações à Lusa, a presidente da Associação Portuguesa de Deficientes (APD) disse que um "problema é que até as poucas [estações] que têm elevador, têm os elevadores constantemente avariados".

"A solução é os funcionários do Metro transportarem as pessoas pela escada, o que é arriscadíssimo", afirmou.

No caso das pessoas com deficiência, que têm de utilizar regularmente transportes públicos, Ana Luísa Sesudo defendeu que a "melhor opção é comprarem viatura própria".

Na página de facebook do Metropolitano são frequentes as queixas dos passageiros pelas constantes avarias, perturbações, limpeza e tempo de espera.

A Lusa tentou, sem sucesso, ter reações do Metropolitano de Lisboa e do Provedor do Cliente da empresa a estas queixas.

Lusa

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contigo" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • Fuzileiros continuam no terreno a ajudar população
    3:03
  • Cozido ou empanadas chilenas para o jantar?
    5:20

    Taça das Confederações

    Portugal e Chile defrontam-se esta quarta-feira em jogo das meias-finais da Taça das Confederações. O jornalista Gonçalo Azevedo Ferreira fala sobre as previsões da imprensa chilena para o encontro, revela alguns dados sobre as presenças de Portugal e Chile em grandes competições e mostra, através das redes sociais, o lado mais descontraído da antevisão deste duelo.

  • Portugal vai pagar 3.500 milhões ao FMI até agosto
    1:18

    Economia

    Portugal vai pagar, até agosto, 3.500 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional. Mil milhões seguem já na sexta-feira. A antecipação do pagamento foi esta quarta-feira formalmente autorizada pelos parceiros e credores europeus.

  • Trump volta a criticar as chamadas "fake news"

    Mundo

    O Presidente norte-americano voltou a criticar aquilo a que chama de "fake news", em português "notícias falsas". Através da rede social twitter, Donald Trump diz que o jornal New York Times "nem sequer liga para verificar os factos e que, por isso, dá notícias falsas".

  • Família Obama de férias na Indonésia

    Mundo

    Das águas claras de Bali aos encantos dos templos de Java, o antigo Presidente norte-americano Barack Obama levou a esposa e as filhas de férias numa aventura de (re)descobertas por um país onde Obama viveu durante quatro anos da sua infância.

    SIC

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44
  • Desacatos no aeroporto de Faro deixam turistas britânicos em terra
    1:46

    País

    Cinco pessoas, que integravam o grupo de turistas britânicos que nos últimos dias causou desacatos em Albufeira, foram ontem impedidas de regressar a Inglaterra. Agressões no aeroporto e desacatos à entrada do avião levaram os comandantes de dois voos a recusar levar aqueles passageiros.