sicnot

Perfil

País

Adiada votação de projeto para requalificação da 2ª Circular

A liderança da Câmara de Lisboa adiou hoje, para a próxima semana, a apreciação da nova proposta de requalificação da Segunda Circular, o que não evitou, contudo, as críticas do CDS-PP e do PSD, que veem as alterações como "minimalistas".

Esta era a segunda vez que a proposta da maioria PS para a Segunda Circular -- que visa aumentar a segurança rodoviária, a fluidez do trânsito e a qualidade ambiental -- estava agendada para debate, já que, em dezembro passado, a versão inicial também foi retirada para ouvir a população.

Desta vez, segundo a oposição, a proposta, que visa o lançamento de um concurso público para a empreitada, foi retirada pelo PS, em maioria no executivo, para clarificar algumas questões. Contactada pela Lusa, a Câmara não explicou o porquê do adiamento.

Em declarações à agência Lusa no final da reunião camarária privada, o vereador do CDS-PP, João Gonçalves Pereira, sustentou que em causa está um "projeto totalmente diferente do que era quando foi criado", pois "aquilo que é a parte substancial da obra" fica para depois.

"Não sabemos é para quando", disse, aludindo à criação de viadutos, passadeiras e reforço dos radares de controlo de velocidade na Segunda Circular.

De acordo com o autarca, também o número de árvores previsto diminuiu de cerca de 8.000 para 1.600, bem como o número de quilómetros de intervenção, já que agora abrange o troço entre o Nó da Buraca e o aeroporto e não até ao Prior Velho.

Preveem-se, contudo, alterações como a substituição de árvores da espécie lódão por freixos, o alargamento do separador central para a extensão mínima, a aplicação de um sistema de retenção de veículos, a introdução de guardas de segurança e a criação de zonas de transição nos acessos.

Recordando que as modificações levaram a um aumento de 10 para 13 milhões de euros, Gonçalves Pereira questionou "como é que, com tanta coisa a desaparecer, o investimento só aumenta".

Para o autarca, a "gestão dos dinheiros públicos deve ser uma gestão cuidada", pelo que "não se deve andar a fazer ações com pompa e circunstância" para depois ser uma "mera ação de cosmética".

Numa resposta escrita enviada à Lusa, a liderança camarária defendeu que "o vereador João Gonçalves Pereira tem demonstrado que ainda não percebeu o projeto da Segunda Circular", pois "primeiro afirmava que era uma tragédia para a mobilidade, hoje de manhã disse que era uma obra de fachada e inútil" e "agora diz que encarece mais".

"A verdade, é que se trata de um projeto essencial e a proposta final da Câmara acolheu contributos da consulta pública e a necessidade de conter os custos da obra", garantiu a autarquia.

Já António Prôa, do PSD, afirmou à Lusa que "o que resta é uma teimosia da Câmara em manter a obra", visto que "todos os pressupostos caem por terra".

"Agora aquilo que se prevê é uma intervenção minimalista", observou, indicando que as "alterações não cumprem grande parte das recomendações feitas [nomeadamente pela Assembleia Municipal]".

Posição diferente tem o PCP, partido que, de acordo com o vereador comunista Carlos Moura, entende esta requalificação "como necessária".

Se a votação tivesse ocorrido hoje, o CDS-PP teria votado contra e o PCP a favor (desde que se assegure mais transportes públicos). O PSD não revelou o seu sentido de voto.

Continua a prever-se a reformulação de nós de acesso, a redução da velocidade de 80 para 60 quilómetros/hora, a diminuição da largura da via em alguns locais, a montagem de barreiras acústicas, a reabilitação da drenagem e do piso e a renovação da sinalética e iluminação.

A obra deve iniciar-se em junho.

Lusa

  • Carlos César admite diálogo "mais fácil" com PSD de Rio
    1:36

    País

    O presidente e líder parlamentar do PSD diz que o partido não precisa de novos aliados, mas acredita que vai ser mais fácil dialogar com o PSD liderado por Rui Rio, Carlos César visitou esta segunda-feira as regiões afetadas pelos incêndios do ano passado, no primeiro dia das jornadas parlamentares dos socialistas.

  • Benfica é o único clube português na lista dos mais ricos
    1:34
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.

  • Os três pontos de Ronaldo
    1:16
  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC