sicnot

Perfil

País

Rui Moreira escreve livro sobre TAP e abandono do aeroporto do Porto

O presidente da Câmara do Porto escreveu um livro sobre a TAP e a "polémica estratégia de abandono do aeroporto do Porto" e a publicação vai ser lançada na terça-feira, avançou hoje à Lusa o seu adjunto.

JOS\303\211 COELHO

Ao longo de 250 páginas, "TAP - Caixa Negra" desvenda "os bastidores do diferendo" do autarca independente contra a transportadora, avançando com "pormenores desconhecidos acerca da vinda da Ryanair para Portugal, de jantares secretos e cartas a vários primeiros-ministros", refere Nuno Santos, adjunto do autarca e co-autor da publicação.

Editado pela Almedina e prefaciado por Luís Valente de Oliveira, ex-ministro em cinco governos de Portugal, o livro revela ainda a opinião de Moreira "sobre o centralismo crescente em Portugal" e explica as razões da "guerra séria" que o autarca independente Rui Moreira "tem lançado em defesa do aeroporto do Porto, da sua cidade e da região Norte.

Nos últimos meses, Rui Moreira tem criticado a estratégia da TAP para o Porto e admitiu apelar ao boicote da região à transportadora, acusando-a de ter em curso uma estratégia para "destruir o aeroporto Francisco Sá Carneiro", no Porto, e construir, em Lisboa, "um novo aeroporto e uma nova ponte".

A "guerra séria" que Moreira disse ter em curso contra a TAP deve-se, em parte, à ligação aérea entre Vigo e Lisboa e à suspensão de quatro rotas europeias que a TAP diz representarem um prejuízo de 8,02 milhões de euros, ao passo que a autarquia do Porto garante terem uma "ocupação média de 90%", representando "o transporte de perto de 190 mil passageiros, em 1.867 voos de ida e volta".

"TAP -- Caixa Negra" vai ser lançada no mercado no próximo dia 22, terça-feira, num local ainda por divulgar.

Os autores dividem os textos em dez capítulos, recuando no tempo "para que se percebam todos os contornos da privatização da ANA, empresa gestora dos aeroportos em Portugal, e a luta que Moreira, então presidente da Associação Comercial do Porto, travou para evitar a construção do aeroporto na Ota e em Alcochete", descreve Nuno Santos.

O livro divulga também "números e outros dados acerca da atividade da TAP, das suas participadas, dos negócios no Brasil, da compra e desaparecimento da Portugália e da contratação da White Airways para operar a anunciada ponte aérea entre o Porto e Lisboa, com aviões da brasileira Azul".

"Na narração que faz dos acontecimentos, Rui Moreira revela pormenores desconhecidos acerca da vinda da Ryanair para Portugal, de jantares secretos e cartas a vários primeiros-ministros e transmite com clareza o que pensa sobre o centralismo crescente em Portugal", acrescentou Nuno Santos.

Lusa

  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.