sicnot

Perfil

País

Menos 700 sinais de trânsito nos passeios de Lisboa

A Câmara de Lisboa realizou, desde o início do ano, cerca de 700 intervenções relacionadas com sinais de trânsito na cidade, entre substituição, recolocação ou retirada definitiva, com o objetivo de melhorar a mobilidade para peões e automobilistas.

https://www.facebook.com/carlosmanuel.castro

https://www.facebook.com/carlosmanuel.castro

https://www.facebook.com/carlosmanuel.castro

https://www.facebook.com/carlosmanuel.castro

"Já fizemos cerca de 700 intervenções e teremos, seguramente, muitas mais pela frente", afirmou hoje o vereador da Mobilidade de Proximidade e Segurança da Câmara de Lisboa.

Carlos Castro falava à Lusa durante uma visita de acompanhamento a uma intervenção em quatro postes de sinalética, que contou com a presença da secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes.

O propósito da intervenção que decorreu na praça do Rossio e na Rua dos Fanqueiros (na freguesia de Santa Maria Maior) seria a retirada de dois sinais, mas acabaram por ser quatro os alvo de remoção.

A sinalética foi retirada por funcionários municipais das "Brigadas Lx", através do arranque e do corte dos postes, procedendo ao arranjo da calçada do passeio logo de seguida.

"É preciso perceber que o que estamos aqui a fazer é, por um lado, melhorar a mobilidade dos peões, mas por outro também a melhorar a visibilidade e a leitura da sinalética por parte dos automobilistas", considerou o vereador.

As intervenções passam pela substituição de sinalética antiga por nova, a relocalização dos postes ou a sua retirada definitiva para evitar sinais redundantes, como foi o caso da sinalética retirada hoje.

Até agora, os trabalhos - que são feito sobretudo em horário noturno - já abrangeram as freguesias das Avenidas Novas, Santo António e Santa Maria Maior, sendo um trabalho que a Câmara pretende estender "a toda a cidade".

A secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, afirmou que "a Câmara de Lisboa tem sido pioneira" nesta matéria, considerando que este "é o tipo de intervenção exemplar".

"É um trabalho de ir de quarteirão em quarteirão, de rua em rua, ver o que está mal, ver o tipo de sinalização que já não é necessária, que já perdeu o sentido e pode ser retirada com uma pequena intervenção", vincou.

Ana Sofia Antunes considerou que "ao limpar este lixo" procura-se "facilitar a vida para todos".

"Muitas vezes andamos pelas ruas, deparamo-nos com obstáculos colocados mesmo no centro dos passeios, e eles são tão mais críticos quanto mais estreitos são os passeios, e esta constitui uma situação gravosa, de risco", acrescentou a secretária de Estado.

Ana Sofia Antunes alertou, ainda, que esta situação abrange "não apenas as pessoas que têm limitações na sua mobilidade em função da sua deficiência", mas também a população idosa, "e que se sente muitas vezes insegura ao caminhar".

A nível nacional, a secretária de Estado refere que "existem várias autarquias preocupadas com as questões das acessibilidades e a fazerem intervenções em espaço público".

O facto de a intervenção em Lisboa ser feita por funcionários municipais foi elogiada por Ana Sofia Antunes, que salientou que a formação de trabalhadores em matérias de mobilidade e acessibilidade deve ser adotada por outras autarquias.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59