sicnot

Perfil

País

PSP identifica dois taxistas no Porto por agressões a condutores da Uber

Dois taxistas foram identificados pela PSP por alegada autoria de danos materiais em duas viaturas da Uber e intimidação e agressão física aos respetivos condutores.

A ANTRAL condenou a violência, mas alertou que a Uber "não está autorizada a trabalhar em Portugal" (Arquivo)

A ANTRAL condenou a violência, mas alertou que a Uber "não está autorizada a trabalhar em Portugal" (Arquivo)

ESTELA SILVA

Com o episódio deste fim de semana, sobe para três o número de casos conhecidos de agressões a condutores ao serviço da Uber na cidade do Porto nos últimos dois meses.

Em declarações à Lusa, fonte das relações públicas da PSP explicou que sábado, pelas 9:20, junto ao Ipanema Park Hotel, no Porto, um carro patrulha da PSP foi chamado ao local na sequência de uma "desordem" que envolveu taxistas e dois indivíduos que deram conta de trabalhar para uma empresa de transportes privados que recebe serviços através da aplicação informática Uber.

A PSP identificou os dois taxistas apontados como os alegados autores de danos materiais em dois automóveis a trabalhar para a Uber e alegadas agressões físicas e intimidações aos condutores desses veículos.

Segundo a PSP, os taxistas terão ainda agredido um terceiro indivíduo que chegou antes da polícia para auxiliar os condutores vítimas de intimidação e agressão.

A 16 de março, a PSP informava que tinha identificado também um taxista como sendo o alegado autor de danos numa viatura parada perto da estação ferroviária de Campanhã (Porto).

A PSP, na altura, informou que um cidadão se queixou de sido vítima de agressões verbais e de a sua viatura ter sofrido vários danos.

No passado dia 16 de fevereiro, dois homens ao serviço da aplicação informática Uber também foram agredidos à porta de um hotel Sheraton do Porto por quatro pessoas, duas das quais taxistas, disse na altura à Lusa fonte da PSP, que recebeu queixa formal do sucedido.

Com Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08