sicnot

Perfil

País

Câmara de Silves preocupada com risco de colapso da muralha mas sem verba para obras

A presidente da Câmara de Silves está preocupada com a degradação da muralha da cidade, que no setor poente está em risco de ruir, mas queixa-se da falta de apoio financeiro para poder avançar com obras.

LU\303\215S FORRA

Em declarações à Lusa, a autarca, Rosa Palma (CDU), explicou que o município tem já uma rubrica aberta no orçamento para reabilitar aquele setor da muralha, mas não é suficiente para cobrir o custo total, pelo que é preciso obter apoio financeiro do Estado, através das Direção Regional de Cultura do Algarve (DRCAlg).

A diretora regional de Cultura, Alexandra Gonçalves, admitiu que a recuperação da muralha é prioritária - estando já inscrita no lote de monumentos que integrarão candidaturas a fundos comunitários até 2020. Contudo, referiu, aquele organismo não possui "qualquer linha de financiamento ou capacidade de investimento" nos imóveis que não estão sob a sua gestão.

O problema, que se arrasta há vários anos, afeta também outros pontos da muralha de Almedina, o sistema defensivo da antiga cidade no período islâmico. Porém, é mais visível no setor poente, mesmo junto aos Paços do Município, onde já se registou o colapso de pedras, tendo o local sido entretanto vedado pela Proteção Civil.

A presidente da autarquia classifica a situação como sendo uma emergência e considera que o município não tem que ficar "com o ónus da recuperação do património que é de todos", pois, apesar de estar disponível para financiar parte da obra, a verba inscrita no orçamento "não consegue cobrir todo o investimento".

De acordo com a arqueóloga municipal Maria José Gonçalves, a gestão da muralha de Silves, monumento nacional desde 2012, ainda é uma indefinição, uma vez que durante muitos anos se pensou que seria propriedade do Estado, embora vários documentos apontem para que seja propriedade municipal.

"Neste momento, e porque tivemos necessidade de desenvolver alguns procedimentos relacionados com a conservação e classificação, ficámos com dúvidas [sobre a propriedade das muralhas]", afirmou a arqueóloga, observando que a autarquia ainda aguarda uma clarificação, pois "há ainda a hipótese de serem do Estado".

Um documento da Direção-Geral do Património do Estado datado de 1987 e baseado num decreto de 1932, a que a Lusa teve acesso, refere que a "Almedina de Silves se encontra na posse e propriedade da Câmara Municipal de Silves".

Contudo, para esclarecer definitivamente se a muralha pertence ao município ou ao Estado, a diretora regional de Cultura fez esta semana um pedido àquela direção-geral, para saber em que nome está o registo predial "deste ponto em concreto".

Uma empresa contratada pela autarquia está neste momento a fazer o levantamento topográfico e arquitetónico do alçado da muralha, com a finalidade de ser elaborado um projeto de reabilitação, mas a equipa tem tido dificuldades no acesso a algumas partes da muralha, que estão no interior de habitações ou quintais privados.

"Algumas pessoas até ajardinaram as muralhas, o que obviamente não é bom para a manutenção do seu estado de conservação", observou a arqueóloga municipal, sublinhando que a última intervenção na muralha terá acontecido no final da década de 1990, pela Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, que integrava o antigo Ministério das Obras Públicas.

A diretora regional de Cultura do Algarve sugere como hipóteses para o financiamento da obra o recurso ao Fundo de Salvaguarda do Património ou à verba gerada pela bilheteira do Castelo de Silves, que é o segundo monumento mais visitado do Algarve.

Quando os monumentos não estão afetos à DRCAlg, este organismo emite parecer sobre os projetos de reabilitação do património, presta apoio técnico e acompanha as intervenções, mas não dispõe de capacidade de investimento.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    A capital da Itália foi esta manhã sacudida por três sismos em apenas uma hora, de entre 5,3 e 5,7 na escala de Richter, não havendo até ao momento registo de vítimas.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".