sicnot

Perfil

País

Grande Reportagem da SIC ganha prémio da Sociedade Portuguesa de Autores

A Sociedade Portuguesa de Autores entregou o prémio de Melhor Programa de Informação aos jornalistas da SIC Sofia Arêde, Fernando Silva e Ricardo Tenreiro pela Grande Reportagem "Sobreviventes".

Grande Reportagem "Os Sobreviventes" de Sofia Arêde da SIC Notícias

Grande Reportagem "Os Sobreviventes" de Sofia Arêde da SIC Notícias

"Sobreviventes", de Sofia Arêde com imagem de Fernando Silva, edição de Ricardo Tenreiro e grafismo de Alexandre Ferrada, conta a história de refugiados que sobreviveram à travessia do Mediterrâneo.

Os prémios foram anunciados terça-feira à noite na Gala Anual da Sociedade Portuguesa de Autores, no Teatro D. Maria I, em Lisboa, com a presença do ministro da Cultura, João Soares, durante a qual foram revelados os vencedores das oito categorias do Prémio Autores 2016.

Segundo a lista publicada hoje na página da SPA na Internet, o prémio de Melhor Programa de Ficção foi para "Os Maias - Cenas da Vida Romântica", do realizador João Botelho , e "Visita Guiada", de Paula Moura Pinheiro (RTP2), venceu o de Melhor Programa de Entretenimento.

No que diz respeito à literatura, o prémio de Melhor Livro de Ficção Narrativa foi para "O Olhar e a Alma", um romance de Modigliani de Cristina Carvalho, da Editorial Planeta, e o Melhor Livro de Poesia foi para "A sombra do Mar", de Armando Silva Carvalho, da Editora Assírio & Alvim.

Ainda na Literatura, o prémio de Melhor Livro Infanto-Juvenil foi para "A palavra perdida", de Inês Fonseca Santos e ilustração de Marta Madureira, da editora Arranha-Céus.

Na dança, o prémio de Melhor Coreografia foi para Tiago Rodrigues, com "A perna esquerda de Tchaikowski".

Na rádio, António Macedo venceu o prémio de Melhor Programa de Rádio com "Programa da Manhã" e nas artes visuais, o galardão de Melhor Exposição de artes plásticas foi para "Helena Almeida: Minha obra é o meu corpo, o meu corpo é a minha obra', de Helena Almeida.

Valter Vinagre ganhou o prémio de Melhor Trabalho de Fotografia com "Posto de Trabalho" e José Capela o de Melhor Trabalho Cenográfico com "Pirandello".

Quanto aos prémios de Teatro, Nuno Cardoso venceu o de Melhor Espetáculo, com "Demónios", Sofia Marques arrecadou o galardão de Melhor Atriz em "Lisboa famosa, portuguesa e milagrosa" e o de Melhor Ator foi para Miguel Moreira, em "Ricardo III".

Ainda no teatro, o prémio de Melhor Texto Português Representado foi para Jorge Listopad, com "Para uma encenação de Hamlet".

No que diz respeito ao cinema, Margarida Cardoso venceu os prémios de Melhor Argumento e de Melhor Filme, com "Yvone Kane".

O prémio de Melhor atriz foi para Joana de Verona, em "As Mil e uma noites", e o de Melhor Ator para José Mata, em "Amor Impossível".

Na música, David Fonseca ganhou o prémio da SPA para Melhor Tema de Música Popular, com "Chama-me que eu vou", o maestro Álvaro Cassuto o de Melhor Trabalho de Música Erudita, pela obra "José Viana da Mota -- À Pátria (Royal Liverpool Philharmonic Orchestra)", e o de Melhor Disco foi para os Moonspell, com "Extinct".

Durante a cerimónia foi entregue o Prémio Internacional da SPA ao jurista Gadi Oron, diretor-geral da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores, que completa 90 anos, tantos quantos a SPA, em maio.

No evento foi também entregue ao encenador Carlos Avilez, fundador do Teatro Experimental de Cascais, em 1965, o Prémio Vida e Obra. Segundo comunicado da SPA, esta é "a mais antiga companhia de teatro independente em atividade".

As autarquias de Óbidos e Idanha-a-Nova irão receberam o Prémio para a Melhor Programação Cultural Autárquica.

O Prémio Autores foi atribuído pela primeira vez em 2010, pela SPA, para distinguir criadores portugueses, em diferentes áreas de criação artística, que vão da rádio e da televisão, à música, dança, artes plásticas, literatura, teatro e ao cinema.

Com Lusa

  • Os Sobreviventes
    41:48

    Grande Reportagem SIC

    Na Grande Reportagem, a SIC dá-lhe a conhecer as histórias de sobrevivência de quem arriscou a vida na travessia do Mediterrâneo para tentar chegar à Europa. Hamad ia passar para a 4ª classe quando a guerra o obrigou a fugir da Síria com a família. O pequeno barco em que viajavam, com mais 400 pessoas, acabaria por naufragar antes de chegar a Lampedusa. Duas centenas de pessoas morreram. Hamad, com 10 anos, foi um dos sobreviventes.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.