sicnot

Perfil

País

Proteção Civil alerta para queda de neve e vento forte

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou hoje a população para as previsões de queda de neve e de vento forte a partir de quarta-feira nas regiões do Norte e Centro.

NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

O aviso à população da ANPC surge após o contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que prevê, a partir de quarta-feira, queda de neve para as regiões do Minho, Norte e Centro, podendo atingir repentinamente cotas de 400 a 600 metros.

Segundo o IPMA, o vento vai soprar forte de norte com rajadas da ordem dos 80 quilómetros por hora no litoral Oeste e nas terras altas durante a tarde de quarta-feira.

Tendo em conta as condições meteorológicas, a ANPC alerta para o condicionamento ou encerramento de vias de circulação devido à queda de neve, piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo e danos em estruturas montadas ou suspensas, além da possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte.

No aviso à população sobre as medidas preventivas, a ANPC refere que devem ser adotados os comportamentos adequados, sobretudo nas zonas historicamente mais vulneráveis.

Nesse sentido, a Proteção Civil recomenda a adoção de uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias, e ao transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve.

A ANPC aconselha ainda a população a garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas, e ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos ou árvores devido ao vento mais forte.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite