sicnot

Perfil

País

Mesma morada já mudou pelo menos duas vezes de código postal

Mesma morada já mudou pelo menos duas vezes de código postal

Uma família de Chaves queixa-se das constantes mudanças do código postal. As alterações têm obrigado à renovação de vários documentos. O que se traduz em transtorno e mais despesas.

Grande parte da correspondência continua a chegar a casa da família Almeida Pereira com o código postal antig, mas será pela familiaridade do carteiro, porque o número não está correto desde 2009.

João Almeida Pereira só se apercebeu mais tarde. Desde então diz que os três últimos dígitos do endereço codificado já mudaram pelo menos mais duas vezes.

Em resposta às sucessivas queixas desta família, os CTT dizem que a manutenção do antigo código postal não é possível. Alegam que os endereços codificados têm que ser contíguos para uma distribuição eficaz do correio.

João Almeida Pereira está disposto a ir até às últimas consequências e o caso pode mesmo chegar aos tribunais.

Em resposta à SIC , os CTT dizem que depois do pedido do cliente em 2014 para repor o código postal inicial foram precisar a localização da residência de João Almeida Pereira. Os Correios recorreram à ajuda da autarquia e apuraram finalmente o endereço. À morada faltava acrescentar o nome de uma rua e é o código postal dessa rua que deve vigorar, para garantir a receção de correspondência desta família.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras