sicnot

Perfil

País

Criminalidade de grupos e jovens está a baixar

As autoridades registaram uma diminuição de 11,5 por cento nas participações por delinquência juvenil, no ano passado, e de 4,4% para a criminalidade praticada por grupos, revela o Relatório Anual de Segurança Interna 2015, hoje divulgado.

© Benoit Tessier / Reuters

"A criminalidade grupal mantém a tendência de decréscimo que se vem observando nos últimos anos, registando-se uma diminuição de 279 participações", lê-se no relatório hoje entregue na Assembleia da República.

Já a delinquência juvenil, que "tem vindo a comportar-se ao longo dos anos de forma alternada", teve menos 276 participações, o que representa um decréscimo de 11,5%.

No total, em 2015, verificaram-se 2.117 situações relacionadas com delinquência juvenil e 6.069 com criminalidade grupal.

As autoridades consideram criminalidade grupal um facto criminoso praticado por três ou mais pessoas, enquanto a delinquência juvenil abrange os menores entre os 12 e os 16 anos.

O maior número de inquéritos tutelares educativos iniciados neste período teve lugar nas comarcas do Porto (1.420), Lisboa Oeste (1.270), Lisboa Norte (610), Faro (415) e Açores (284).

Os mesmos locais registaram o maior número de inquéritos findos: 1.285 no Porto, 1.087 em Lisboa Oeste, 1.060 em Lisboa, 619 Lisboa Norte, 347, em Faro, e 239, nos Açores.

O RASI 2015, hoje entregue no parlamento, indica que criminalidade geral aumentou 1,3 por cento no ano passado, face a 2014, mas a criminalidade violenta e grave diminuiu 0,6 por cento.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".