sicnot

Perfil

País

Criminalidade de grupos e jovens está a baixar

As autoridades registaram uma diminuição de 11,5 por cento nas participações por delinquência juvenil, no ano passado, e de 4,4% para a criminalidade praticada por grupos, revela o Relatório Anual de Segurança Interna 2015, hoje divulgado.

© Benoit Tessier / Reuters

"A criminalidade grupal mantém a tendência de decréscimo que se vem observando nos últimos anos, registando-se uma diminuição de 279 participações", lê-se no relatório hoje entregue na Assembleia da República.

Já a delinquência juvenil, que "tem vindo a comportar-se ao longo dos anos de forma alternada", teve menos 276 participações, o que representa um decréscimo de 11,5%.

No total, em 2015, verificaram-se 2.117 situações relacionadas com delinquência juvenil e 6.069 com criminalidade grupal.

As autoridades consideram criminalidade grupal um facto criminoso praticado por três ou mais pessoas, enquanto a delinquência juvenil abrange os menores entre os 12 e os 16 anos.

O maior número de inquéritos tutelares educativos iniciados neste período teve lugar nas comarcas do Porto (1.420), Lisboa Oeste (1.270), Lisboa Norte (610), Faro (415) e Açores (284).

Os mesmos locais registaram o maior número de inquéritos findos: 1.285 no Porto, 1.087 em Lisboa Oeste, 1.060 em Lisboa, 619 Lisboa Norte, 347, em Faro, e 239, nos Açores.

O RASI 2015, hoje entregue no parlamento, indica que criminalidade geral aumentou 1,3 por cento no ano passado, face a 2014, mas a criminalidade violenta e grave diminuiu 0,6 por cento.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC