sicnot

Perfil

País

Guarda regista aumento de participações de crimes violentos

O distrito da Guarda foi aquele que registou em 2015 uma maior subida percentual (31,7%) de participações de crimes violentos e graves às autoridades face ao ano anterior, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), hoje divulgado.

Com um total de 79 ocorrências de criminalidade violenta e grave participados às autoridades em 2015, contra as 60 registadas em 2014, o distrito da Guarda é aquele que, em termos percentuais, apresenta um maior crescimento deste tipo de criminalidade, com uma subida de 31,7%.

Seguem-se os distritos de Santarém (22,5%) e de Viana do Castelo (18,9%), que respetivamente, registaram 452 ocorrências (+83 do que em 2014) e 189 ocorrências (+30 do que em 2014).

Em termos absolutos, os distritos de Lisboa, Porto e Setúbal são aqueles com maior número de crimes violentos e graves participados em 2015.

Segundo o relatório, "Lisboa é responsável por aproximadamente 45% das participações", e juntando os distritos de Porto (16,9%) e Setúbal (11,3%), os três "representam 73% das participações" deste tipo de criminalidade no último ano.

Lisboa e Setúbal mantiveram em 2015 a tendência dos últimos anos de redução de participações de crimes violentos e graves: Lisboa, com 8.483 participações às autoridades em 2015 (-93 do que em 2014), regista uma quebra de 1,1% neste tipo de ocorrências; e Setúbal, com 2.135 registos em 2015 (-170 do que em 2014) apresenta uma redução percentual de 7,4%.

Já o Porto, que entre 2006 e 2013 registou anualmente sucessivas quebras na participação de crimes graves e violentos, voltou em 2015 a registar um aumento face ao ano anterior, com 3.199 ocorrências (+205 do que em 2014), o que representa um crescimento de 6,8%.

Pelo lado dos distritos com uma mais acentuada redução percentual de criminalidade violenta e grave participadas, destacam-se em 2015 Braga (-14,4%), Faro (-12%), Portalegre (-10,1%) e Setúbal (-7,4%).

Entre as regiões autónomas, os Açores registaram uma quebra de participações deste tipo de criminalidade de 3%, e a Madeira um aumento de 4%.

O RASI 2015, hoje entregue no parlamento, indica que criminalidade geral aumentou 1,3 por cento no ano passado, face a 2014, mas a criminalidade violenta e grave diminuiu 0,6%.

Lusa

  • Criminalidade de grupos e jovens está a baixar

    País

    As autoridades registaram uma diminuição de 11,5 por cento nas participações por delinquência juvenil, no ano passado, e de 4,4% para a criminalidade praticada por grupos, revela o Relatório Anual de Segurança Interna 2015, hoje divulgado.

  • Sismo registado esta manhã na região de Lisboa

    País

    Um sismo foi sentido esta manhã na região da Grande Lisboa. O abalo foi registado às 7h44, com epicentro em Sobral de Monte Agraço e magnitude de 4.3, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

    Em atualização

  • "É terrorismo, politiquice e interesse económico"
    0:45

    País

    A situação em Mação, no distrito de Santarém, continua muito complicada para os operacionais e para as populações que tentam combater as chamas. Os populares dizem que é de "lastimar" a aflição que se vive.

  • GNR resgata 45 sírios no mar Egeu
    2:28

    Crise Migratória na Europa

    A Guarda Nacional Republicana já resgatou quase 300 migrantes no mar Egeu, ao largo da Grécia, desde o início de maio. Esta quarta-feira de madrugada, os militares salvaram 45 sírios que tentavam chegar à Grécia numa embarcação de borracha.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.