sicnot

Perfil

País

Mais de 1500 portugueses estão presos no estrangeiro

Mais de 1.700 portugueses estavam detidos no estrangeiro, no ano passado, tendo sido deportados 413 cidadãos, principalmente do Canadá e do Reino Unido, revela o Relatório de Segurança Interna (RASI).

Número de presos políticos na China triplicou nos últimos três anos, revela ONG

Número de presos políticos na China triplicou nos últimos três anos, revela ONG

© Nicky Loh / Reuters

De acordo com os dados do RASI, entregue hoje na Assembleia da República, 1.776 cidadãos portugueses estavam presos em países estrangeiros a 31 de dezembro de 2015, sendo que este valor pode não refletir o número total, já que a informação diz apenas respeito aos detidos que se quiseram dar a conhecer aos serviços consulares.

Este número representa um aumento de 118 casos, relativamente a 2014.

Relativamente aos países, 580 portugueses estavam detidos em Espanha, 245 na França, 236 no Reino Unido e 167 no Brasil.

Por outro lado, há registo de 413 cidadãos portugueses que foram deportados dos países onde tinham sido detidos, a maior parte do Canadá (146) e do Reino Unido (106).

O relatório dá destaque aos portugueses deportados dos Estados Unidos e do Canadá, revelando que, no caso dos 25 cidadãos nacionais deportados dos Estados Unidos, a maior parte provem da área de jurisdição do Consulado de Portugal em New Bedford e o principal motivo teve a ver com a existência de antecedentes criminais, seguida da prática de crime de permanência ilegal.

Dos 25 expulsos dos Estados Unidos, dez foram deportados para a Região Autónoma dos Açores.

No que diz respeito ao Canadá, a maior parte dos 146 cidadãos expulsos eram oriundos da área de jurisdição do Consulado de Portugal em Toronto, sendo "essencialmente, naturais da Região Autónoma dos Açores".

As principais razões para a expulsão prenderam-se com existência de antecedentes criminais e crime de permanência ilegal.

Em relação aos outros 242 portugueses expulsos, 106 vieram do Reino Unido, 62 de Espanha, 23 de França, nove da Holanda, oito da Bélgica, seis da Alemanha, quatro da Dinamarca, quatro do Luxemburgo e um do Chipre.

Houve também quatro do Equador, quatro do Peru, dois do Brasil, um da Argentina, um de Cabo Verde, um da Bolívia e um da Venezuela.

O RASI 2015, hoje entregue no parlamento, indica que a criminalidade geral aumentou 1,3 por cento, no ano passado, face a 2014, mas que a criminalidade violenta e grave diminuiu 0,6 por cento.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.