sicnot

Perfil

País

Parlamento vota hoje duas condenações a Angola

O Parlamento vota hoje duas condenações a Angola pela pena aplicada aos 17 ativistas, condenados à prisão efetiva entre os 2 e 8 anos de cadeia.

(arquivo)

(arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters


É a terceira vez em oito meses que o Parlamento aprecia votos de condenação às autoridades angolanas, no âmbito deste caso, que levou dois dos condenados à greve de fome, incluindo o luso-angolano Luaty Beirão.

O Bloco de Esquerda liderou este processo e hoje volta a levar à votação um novo texto, ainda mais crítico à forma como o Estado angolano lidou com o caso dos ativistas.

Já o PS só ontem fez avançar com este voto de condenação por considerar "uma sentença pesada" para jovens e académicos e para a democracia, que não pode existir sem liberdade de expressão e de reunião.

As iniciativas do PS e do Bloco são votadas ao final da tarde, na sessão plenária que começa às 15:00.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC