sicnot

Perfil

País

Alberto João Jardim começa hoje a ser julgado por difamação

O ex-presidente do Governo da Madeira, Alberto João Jardim, começa hoje a ser julgado pelos crimes de difamação, injúrias e abuso de liberdade de imprensa contra o historiador e militante do PS António Fernandes Loja.

HOMEM DE GOUVEIA / Lusa


Alberto João Jardim teve julgamento marcado para 17 de fevereiro, mas o tribunal da Instância Local da Comarca da Madeira adiou-o para hoje.

O ex-governante responde pelas expressões utilizadas em dois artigos de opinião - sob o título "A loja dos rancores" - publicados no Jornal da Madeira a 23 e 26 de novembro de 1994 e consideradas por António Loja "atentatórias do seu bom nome, honra e consideração".

"Era marxista há menos de oito dias, agora é só interpretação histórica", "tão pirado que não vê as próprias grosserias e descobre-as nos outros", "não fui eu que andei com perseguições após o 25/4 [25 de Abril]", "nunca andei a espreitar funcionários policialmente", "a criatura endoidou", "ordinarote" e "o homenzinho, ao ler isto, caem-lhe mais três dentes, dois de raiva e um de senilidade", foram algumas das expressões e frases utilizadas pelo então líder madeirense, segundo a acusação.

No processo, foi deduzida acusação particular e feito um pedido cível de indemnização no valor de 600.000 escudos (perto de 3.000 euros) contra o social-democrata.

O ex-governante riposta, por seu lado, que as expressões foram utilizadas no âmbito do debate político.

Alberto João Jardim foi presidente do Governo Regional da Madeira entre 18 de março de 1978 e 12 de janeiro de 2015, mantendo-se como presidente em exercício até 20 de abril de 2015, dia da tomada de posse do XII Governo Regional de Miguel Albuquerque, que lhe sucedeu na liderança do PSD/Madeira.

Lusa

  • João Jardim diz que ainda não foi notificado para responder como arguido
    0:22

    País

    Alberto João Jardim vai ser constituído arguido no âmbito do processo "Cuba livre", que investiga a dívida pública da Madeira. Em causa, poderão estar os crimes de prevaricação, abuso de poder e violação das normas orçamentais. Esta noite, à saída da Fundação Social Democrata da Madeira, no Funchal, o ex-presidente do Governo Regional garantiu à SIC que ainda não foi notificado.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".