sicnot

Perfil

País

Ministério do Ensino Superior lamenta morte de jovem no Porto

O Ministério do Ensino Superior lamentou hoje a morte de um estudante no Porto, frisando que condena "todo e qualquer tipo de violência" no interior ou exterior das instalações das instituições de ensino.

Em nota enviada às redações, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior afirma que lamenta profundamente a morte de um aluno do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (Instituto Politécnico do Porto), com cerca de 20 anos.

"Foi com pesar que o MCTES recebeu a notícia", lê-se no documento.

Também o presidente da Federação Académica do Porto, Daniel Freitas, lamentou a morte do estudante ocorrida hoje de madrugada naquela cidade, sublinhando que uma situação destas "não pode passar em claro".

"É uma situação lamentável que não pode passar em claro. Qualquer situação destas tem de ser investigada", frisou o dirigente associativo, que disse desconhecer, para já, os contornos do caso.

Um estudante de 20 anos terá sido hoje espancado até à morte na zona do polo universitário da Asprela, no Porto, por um grupo de quatro indivíduos, segundo disse à Lusa fonte da PSP.

A investigação do caso está a cargo da Polícia Judiciária.

Com Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00