sicnot

Perfil

País

PS quer alargar lei das incompatibilidades

O PS quer que os titulares de altos cargos políticos não possam trabalhar para empresas, sociedades de crédito ou seguradoras ligadas a áreas que anteriormente tutelaram.

No projecto-lei entregue ontem no parlamento, mantêm-se os 3 anos de período de nojo, já previsto, mas são alargadas as incompatibilidades.

Durante 3 anos, os antigos titulares de altos cargos políticos não poderão exercer funções em empresas com quem tiveram relações enquanto representantes do Estado. A medida inviabilizaria, por exemplo, a contratação de Maria Luis Albuquerque para a Arrow ou a ida de Vitor Gaspar para o departamento de assuntos orçamentais do FMI.

Os socialistas querem que os ministros passem plo crivo da Assembleia da República antes de irem para o setor privado, ou seja, só depois do parecer vinculativo de uma comissão parlamentar criada para o efeito.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.