sicnot

Perfil

País

PS quer alargar lei das incompatibilidades

O PS quer que os titulares de altos cargos políticos não possam trabalhar para empresas, sociedades de crédito ou seguradoras ligadas a áreas que anteriormente tutelaram.

No projecto-lei entregue ontem no parlamento, mantêm-se os 3 anos de período de nojo, já previsto, mas são alargadas as incompatibilidades.

Durante 3 anos, os antigos titulares de altos cargos políticos não poderão exercer funções em empresas com quem tiveram relações enquanto representantes do Estado. A medida inviabilizaria, por exemplo, a contratação de Maria Luis Albuquerque para a Arrow ou a ida de Vitor Gaspar para o departamento de assuntos orçamentais do FMI.

Os socialistas querem que os ministros passem plo crivo da Assembleia da República antes de irem para o setor privado, ou seja, só depois do parecer vinculativo de uma comissão parlamentar criada para o efeito.

  • Hoje é notícia

    País

    A Direção-Geral do Orçamento divulga a síntese de execução orçamental em contas públicas do primeiro trimestre, sendo que o Governo pretende reduzir o défice para 0,7% do PIB em contabilidade nacional em 2018. O secretário-geral do PS, António Costa, apresenta a moção de orientação política que irá levar ao congresso do partido, marcado para maio. O BCE deverá deixar as taxas de juro inalteradas na reunião de política monetária de hoje, em Frankfurt.

  • O portal onde pode consultar certidões e outros documentos sem sair de casa
    7:37
  • Presidente da Comunidade de Madrid demite-se depois da divulgação de vídeo de roubo
    1:27