sicnot

Perfil

País

Lista de Passos Coelho consegue 33 dos 70 lugares do Conselho Nacional

A lista de Pedro Passos Coelho ao Conselho Nacional do PSD, encabeçada por Marques Guedes, conseguiu eleger 33 dos 70 lugares deste órgão, quase o dobro do alcançado há dois anos.

JOS\303\211 COELHO

No último Congresso, realizado em 2014, a lista do presidente do PSD ao Conselho Nacional, então liderada por Miguel Relvas, conseguiu 18 dos 70 lugares deste órgão, naquele que foi o pior resultado da sua liderança. Nessa eleição concorreram nove listas a este órgão, considerado o parlamento do partido, menos uma do que hoje.

No Congresso de Espinho, que termina hoje, Passos Coelho integrou na sua lista ao Conselho Nacional elementos das estruturas autónomas do partido JSD e TSD, que abdicaram de apresentar listas próprias.

De acordo com o presidente do Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, João Calvão da Silva, votaram 742 congressistas para este órgão.

A lista A conseguiu 323 votos, correspondentes a 33 mandatos. A lista B, liderada por João Moura, conseguiu 92 votos e nove mandatos; a lista C, que tem como primeiro nome Carlos Reis, obteve 73 votos e sete mandatos; a lista D, encabeçada por Luís Rodrigues, teve 57 votos e cinco mandatos; a lista E, com Alexandre Barros da Cunha, como primeiro nome conseguiu 39 votos e quatro mandatos; a lista F, encabeçada por Jorge Nuno Sá, teve 37 votos correspondentes a três mandatos; a G, de Luís Filipe Soromenho Gomes, 45 votos e quatro mandatos, e a lista H, de Cláudia Monteiro Aguiar, obteve 56 votos e cinco mandatos.

Para o Conselho de Jurisdição Nacional, o outro órgão eleito por representação proporcional, votaram 743 congressistas.

A lista A, proposta por Passos Coelho e liderada por João Calvão da Silva, obteve 310 votos e cinco mandatos. Há dois anos, a lista da direção, também encabeçada por Calvão da Silva, elegeu quatro lugares num total de nove.

Em 2014, tal como no atual congresso, concorreram quatro listas ao órgão jurisdicional do partido.

Lusa

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.