sicnot

Perfil

País

Mãe de adolescente morto em Salvaterra afirma que assassino lhe deu pistas falsas

A mãe do adolescente assassinado o ano passado em Salvaterra de Magos descreveu hoje ao Tribunal de Santarém o que fez para encontrar o filho, assegurando que o jovem que hoje confessou o homicídio lhe forneceu pistas falsas.

Tribunal de Santarém

Tribunal de Santarém

DR

A mãe do adolescente afirmou que o jovem, ao qual chegou após um aluno da escola do filho o ter visto o alegado assassino com um casaxco da vítima - lhe foi dando pistas falsas, que a levaram a Samora Correia e a Vila Franca de Xira à procura de pessoas que supostamente o teriam levado.

A mulher descreveu o seu filho, morto em maio de 2015, como um "aluno razoável", prestável e bem-disposto, negando que consumisse estupefacientes, como afirmou o arguido, uma das testemunhas e um inspetor da Polícia Judiciária (PJ).

Num depoimento várias vezes interrompido por não conseguir conter a emoção, a mãe relatou ao detalhe os passos que deu a partir das 22:30 da noite de 11 de maio de 2015, quando tentou ligar para o filho e o telemóvel deu sinal de desligado, até ser informada da morte pela Polícia Judiciária, já na madrugada de dia 14.

A viver no Luxemburgo, onde trabalha desde há sete meses, a mãe do adolescente constituiu-se como assistente no processo, tal como o pai, que na altura dos factos estava a trabalhar na Nigéria.

Ambos pedem uma indemnização cível num valor total de 288.400 euros (que inclui 98.400 euros por danos materiais, 80.000 pela perda do direito à vida, 50.000 pelos danos sofridos antes da morte, 60.000 pelo sofrimento dos familiares).

Na sessão de hoje, que começou com o depoimento do arguido, que admitiu culpa, afirmou não ter tido intenção de matar e mostrou arrependimento, foi ainda ouvido o pai do adolescente, um inspetor da Polícia Judiciária, uma amiga do jovem e a mãe desta.

Quando questionados sobre se em algum momento perceberam algum tipo de perturbação psicológica no arguido (que tem diagnosticada bipolaridade), as testemunhas afirmaram nunca se terem apercebido de nenhum comportamento anormal, tendo o inspetor da PJ afirmado que o seu discurso foi sempre coerente, procurando explicações racionais, que, contudo, não se foram revelando consentâneas com os indícios.

O julgamento prossegue no próximo dia 14.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.