sicnot

Perfil

País

PJ detém inspetor chefe no ativo e coordenador reformado

Em atualização

A Polícia Judiciária deteve hoje um inspetor chefe no ativo e um coordenador reformado da própria PJ, por suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais. Em comunicado, a PJ adianta que, no total, foram detidos 15 homens na operação denominada "Aquiles".

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

Os elementos da PJ detidos são Ricardo Macedo (inspetor-chefe) e Dias Santos (coordenador reformado).

Em comunicado, a Judiciária revela que, no âmbito da Operação "Aquiles", foram detidos 15 homens, com idades entre os 39 e 61 anos, "por corrupção ativa e passiva para ato ilícito, branqueamento de capitais e tráfico de estupefacientes".

A operação mobilizou quase duas centenas e meia de elementos da PJ, assim como magistrados judiciais e do Ministério Público, tendo sido realizadas cerca de 120 buscas em todo o pais.

Entre os 15 detidos estão dois elementos da própria PJ - um antigo coordenador já reformdo e um inspetor-chefe que trabalhava na Unidade Nacional de Combate ao Trafico de Estupefacientes (UNCTE) - que serão presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

A Operação Aquiles está a cargo da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC), em colaboração com a UNCTE, em inquérito dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Última atualização às 13:01

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.