sicnot

Perfil

País

Trabalhadores do Metro de Lisboa lembram Governo de promessas por cumprir

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa decidiram hoje que vão entregar ao representante do Governo na inauguração da futura estação da Reboleira, na Amadora, um documento com as suas preocupações e promessas do executivo que não foram cumpridas.

Jose Manuel Ribeiro / Reuters

De acordo com Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans), o Conselho de Administração da Transportes de Lisboa apresentou na terça-feira uma proposta de Acordo de Empresa para o Metropolitano aos representantes dos trabalhadores, que hoje se reuniram em plenário.

"Ainda sem análise desta proposta, há desde logo uma coisa que nos distancia, que é o facto de não terem retirado a denúncia da convenção coletiva de trabalho, um compromisso que foi assumido inclusive pelo secretário de Estado do Ambiente no fim do ano passado. Nós entendemos que, para que possa haver uma negociação credível e séria, deve ser levado à prática", assinalou a sindicalista.

No plenário, os trabalhadores decidiram "fazer uma ação simbólica na inauguração da estação de Metro da Reboleira na Amadora, entregando ao representante do Governo um documento em que irão refletidas estas preocupações" e em que assinalarão "as promessas que foram feitas e que não estão a ser cumpridas".

Além da retirada da denúncia da contratação coletiva, os trabalhadores estão preocupados com a falta de contratação de novos trabalhadores para o Metropolitano.

A inauguração da nova estação do Metropolitano na Reboleira, com ligação à linha ferroviária de Sintra, deverá ocorrer "no início do segundo trimestre deste ano", de acordo com a Transportes de Lisboa.

A Lusa contactou a Transportes de Lisboa para obter um comentário acerca das propostas contidas no novo Acordo de Empresa, mas até ao momento não obteve resposta.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.