sicnot

Perfil

País

Marcelo recebe primeiro Conselho de Estado, Draghi é convidado

O primeiro Conselho de Estado de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República realiza-se hoje, tendo como convidados o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, e o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi

© Ralph Orlowski / Reuters

Menos de um mês depois de ter tomado posse como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa convocou para hoje, no Palácio de Belém, a primeira reunião daquele órgão político de consulta, com a participação de Mario Draghi para "apresentar uma exposição ao Conselho de Estado sobre a situação económica e financeira europeia".

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, será o outro convidado a participar numa primeira parte do Conselho de Estado, marcado para as 15:00. Já sem convidados, o Conselho de Estado apreciará o segundo ponto da ordem de trabalhos sobre o Programa Nacional de Reformas e Programa de Estabilidade.

Para hoje ao final da tarde, o BE marcou uma concentração no Largo de S. Domingos, em Lisboa, uma ação simbólica intitulada "Xô Draghi - Receção alternativa ao presidente do BCE", contra a atuação do presidente do Banco Central Europeu que, segundo o deputado bloquista Jorge Costa, "tem prejudicado Portugal".

A reunião do Conselho de Estado é antecedida, às 14:30, pela tomada de posse dos novos conselheiros de Estado: Cavaco Silva, na qualidade de antigo Presidente da República, e as cinco personalidades indicadas pelo chefe de Estado.

O ex-dirigente do CDS-PP António Lobo Xavier, o antigo primeiro-ministro António Guterres, o ensaísta Eduardo Lourenço, o antigo presidente do PSD Luís Marques Mendes e a presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza são os cinco nomes escolhidos por Marcelo.

Além destes membros, a 18 de dezembro a Assembleia da República elegeu Carlos César (PS), Francisco Louçã (BE), Domingos Abrantes (PCP), Francisco Pinto Balsemão (PSD) e Adriano Moreira (CDS-PP) para o Conselho de Estado, em resultado da votação de duas listas separadas, uma das bancadas da esquerda e outra da direita.

O Conselho de Estado é o órgão político de consulta do Presidente da República, presidido pelo chefe de Estado, e é composto pelo presidente da Assembleia da República, pelo primeiro-ministro, pelo presidente do Tribunal Constitucional, pelo Provedor de Justiça, pelos presidentes dos governos regionais e pelos antigos Presidentes da República, além das personalidades indicadas pelo chefe de Estado e as eleitas pelo parlamento.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.