sicnot

Perfil

País

Visita de Estado de Marcelo a Moçambique terá forte componente económica

A deslocação do Presidente da República Portuguesa a Moçambique, no início de maio, vai ser a sua primeira visita de Estado e terá uma forte componente económica, incluindo um encontro com 150 empresários portugueses e moçambicanos.

Segundo o programa provisório desta visita hoje divulgado aos jornalistas pela Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa vai viajar para Moçambique na noite de 02 para 03 de maio e regressa a Lisboa na manhã de dia 07, em voos comerciais.

Nos cinco dias que estará em Moçambique, o chefe de Estado não deverá sair da capital, Maputo.

Para além dos encontros institucionais bilaterais, esta visita de Estado terá uma grande vertente económica, estando a ser preparado um encontro com empresários de Portugal e de Moçambique.

Os empresários portugueses que participarão nessa iniciativa viajarão pelos seus próprios meios.

A cooperação e desenvolvimento, a educação e a cultura serão também áreas prioritárias nesta primeira visita de Estado de Marcelo Rebelo de Sousa.

A visita do Presidente da República a Moçambique foi anunciada a 21 de março pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, Teresa Ribeiro, durante uma visita de trabalho a Moçambique.

Na mesma ocasião, Teresa Ribeiro adiantou que o primeiro-ministro português, António Costa, também vai visitar Moçambique no último trimestre deste ano, para participar na terceira cimeira bilateral.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.