sicnot

Perfil

País

CEME pediu demissão por "razões pessoais", diz PR

O Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), general Carlos Jerónimo, alegou "razões pessoais" no pedido de demissão apresentado hoje ao Presidente da República, disse à Lusa fonte da presidência.

Tiago Petinga

O general Carlos Jerónimo, Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME) desde 18 de fevereiro de 2014, apresentou hoje um pedido de demidssão ao Presidente da República, que é, por inerência, o Comandante Supremo das Forças Armadas.

Segundo a fonte da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa aceitou o pedido de demissão do general Carlos Jerónimo, tendo agradecido os "serviços relevantes" prestados pelo CEME ao país.

Questionado pela Lusa sobre esta demissão, o gabinete do Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), através do coronel Helder Perdigão, disse que "este é um assunto da esfera do Exército" e remeteu para aquele ramo qualquer declaração.

Vários órgãos de comunicação social têm publicado nas suas páginas na Internet que a demissão do general Carlos Jerónimo está relacionada com o caso da polémica sobre discriminação homossexual no Colégio Militar.

Na sexta-feira, o Observador publicou uma reportagem sobre o Colégio Militar na qual o subdiretor do colégio, tenente-coronel António Griolo, admitia a discriminação de alunos homossexuais naquela instituição de ensino.

A situação levou a que o ministro da Defesa tivesse pedido explicações sobre a situação, por a considerar inaceitável.

O general Carlos António Corbal Hernandez Jerónimo nasceu em Paialvo, no concelho de Tomar (Santarém), tem 58 anos de idade e 41 anos de serviço militar, segundo a página do Exército na Internet.

Carlos Jerónimo tem o curso de Ciências Militares, arma de Infantaria, da Academia Militar, os cursos curriculares de carreira, o Curso de Estado-Maior e o Curso Superior de Comando e Direcção, do Instituto de Altos Estudos Militares.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.