sicnot

Perfil

País

CEME pediu demissão por "razões pessoais", diz PR

O Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), general Carlos Jerónimo, alegou "razões pessoais" no pedido de demissão apresentado hoje ao Presidente da República, disse à Lusa fonte da presidência.

Tiago Petinga

O general Carlos Jerónimo, Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME) desde 18 de fevereiro de 2014, apresentou hoje um pedido de demidssão ao Presidente da República, que é, por inerência, o Comandante Supremo das Forças Armadas.

Segundo a fonte da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa aceitou o pedido de demissão do general Carlos Jerónimo, tendo agradecido os "serviços relevantes" prestados pelo CEME ao país.

Questionado pela Lusa sobre esta demissão, o gabinete do Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), através do coronel Helder Perdigão, disse que "este é um assunto da esfera do Exército" e remeteu para aquele ramo qualquer declaração.

Vários órgãos de comunicação social têm publicado nas suas páginas na Internet que a demissão do general Carlos Jerónimo está relacionada com o caso da polémica sobre discriminação homossexual no Colégio Militar.

Na sexta-feira, o Observador publicou uma reportagem sobre o Colégio Militar na qual o subdiretor do colégio, tenente-coronel António Griolo, admitia a discriminação de alunos homossexuais naquela instituição de ensino.

A situação levou a que o ministro da Defesa tivesse pedido explicações sobre a situação, por a considerar inaceitável.

O general Carlos António Corbal Hernandez Jerónimo nasceu em Paialvo, no concelho de Tomar (Santarém), tem 58 anos de idade e 41 anos de serviço militar, segundo a página do Exército na Internet.

Carlos Jerónimo tem o curso de Ciências Militares, arma de Infantaria, da Academia Militar, os cursos curriculares de carreira, o Curso de Estado-Maior e o Curso Superior de Comando e Direcção, do Instituto de Altos Estudos Militares.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28