sicnot

Perfil

País

Capturado em Ponte de Lima terceiro suspeito do tiroteio na Ameixoeira

Foi detido o terceiro suspeito do tiroteio da semana passada no bairro da ameixoeira, em Lisboa. O homem foi capturado pela Polícia Judiciária em Ponte de Lima, no norte do país.

LUSA/ ARQUIVO

O homem, de 26 anos, veio "agora, após a realização de múltiplas diligências da Polícia Judiciária com a colaboração da Polícia de Segurança Pública de Viana do Castelo, a ser localizado e detido no concelho de Ponte de Lima", pode ler-se num comunicado da Política Judiciária.

"Vai ser presente a primeiro interrogatório judicial, no qual será sujeito à aplicação das medidas de coação processual adequadas", acrescenta a nota.

No início da semana outros dois suspeitos, de 24 e 42 anos, relacionados com os incidentes, também foram detidos. Ambos apresentam "fortes indícios" da prática dos crimes de homocídio na forma tentada.

A 29 de março, três elementos da PSP e duas civis foram baleados durante confrontos entre famílias rivais.

Na Inspeção-Geral da Administração Interna decorre um inquérito para apurar "todos os factos" relacionados com o tiroteio da semana passada.

Última atualização às 12:47

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.