sicnot

Perfil

País

Ministro da Saúde quer melhorar indicadores das infeções hospitalares

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, afirmou hoje querer "melhorar muito" os indicadores nacionais das infeções hospitalares, que são "muito maus", apelando aos profissionais de saúde que "partilhem" metodologias para alcançar o objetivo.

ESTELA SILVA

"Queremos melhorar muito os nossos indicadores que, infelizmente, são muito maus neste domínio. Contamos convosco, com a vossa competência, com a vossa motivação e com a capacidade de partilharem", afirmou o ministro no Porto.

Presente num encontro que reúne mais de 200 profissionais de saúde, a decorrer até sábado no Porto, no âmbito do projeto da Fundação Calouste Gunbenkian "STOP Infeção Hospitalar", Adalberto Campos Fernandes referiu desejar que, "daqui por um ano", seja possível "ver resultados efetivos" contra as infeções hospitalares.

"Nós não teremos um Serviço Nacional de Saúde de sucesso se não tivermos a humildade de reconhecer que a partilha é o ingrediente fundamental para um sistema de saúde de sucesso", disse, "espero que, daqui por um ano, quando aqui voltarmos, possamos ver resultados efetivos, materializados em indicadores de um trabalho desta verdadeira tropa de elite que luta contra o inimigo que está infelizmente por toda a parte e tem tido até agora mais força do que nós".

Lembrando o protocolo firmado na quinta-feira com a Fundação Gulbenkian, que prevê a colaboração com o Ministério na área das infeções hospitalares, entre outras, o ministro afirmou que "o sistema de saúde não é apenas o Estado, é a sociedade, são os parceiros, são as entidades que, no domínio da sociedade civil, são capazes de reconhecer que todos temos um papel, um papel decisivo em fazer do SNS algo que proteja as pessoas, que diminua os riscos de morbilidade e mortalidade", bem como de tornar o SNS "mais económico e mais eficiente".

"Nós sabemos bem qual é o impacto na economia do sistema da infeção hospitalar e a insegurança que ela provoca no plano clínico", frisou.

Para o ministro, o "ambiente de multidisciplinaridade e de entreajuda" presente naquele encontro faz "jus àquilo que é uma ambição do SNS, de ser, não apenas mais eficiente, mas mais seguro e mais capaz de lutar contra esta grande ameaça (a infeção hospitalar) que afeta os sistemas de saúde em todo o mundo".

O projeto da Gulbenkian, que arrancou no final de 2015 com o objetivo de reduzir em 50% as infeções hospitalares em três anos, conta com a participação de 12 centros, que integram 19 hospitais, "o que corresponde a entre 25% e 30% do total do internamento dos hospitais do SNS", disse à Lusa Paulo Sousa, da Escola Nacional de Saúde Pública.

A ideia é que os profissionais de saúde destes 12 centros e unidades de saúde "sejam precursores de uma metodologia" e possam "contagiar" outros hospitais em Portugal.

"Tem que haver uma mudança cultural, os profissionais têm que perceber o problema, e este projeto uniformiza e padroniza boas práticas, tem uma cultura de medição e a partilha de conhecimento e experiencias entre os vários hospitais", concluiu Paulo Sousa.

Lusa

  • Corpos das vítimas do acidente aéreo chegaram a Chapecó

    Acidente aéreo na Colômbia

    Chegaram esta manhã a Chapecó, no sul do Brasil, os corpos das vitimas do acidente aéreo que causou a morte de boa parte da equipa de futebol chapecoense. Depois da cerimónia no aeroporto, vai haver um velório coletivo no estádio do clube. A SIC Notícias está direto do aeroporto Chapecó. A correspondente Ivani Flora está no aeroporto a acompanhar as cerimónias. O Presidente Michel Temer e outras personalidades do estado brasileiro estão no local a prestar homenagem às vítimas.

    Direto

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.