sicnot

Perfil

País

IPMA diz que vento forte em Vila do Conde é "compatível" com tornado

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) disse hoje que os relatos e as imagens dos estragos causados pelo vento forte em Vila do Conde, no distrito do Porto, são compatíveis com um tornado.

Escombros de uma vacaria destruída pelos ventos fortes em Vila do Conde.

Escombros de uma vacaria destruída pelos ventos fortes em Vila do Conde.

JOS\303\211 COELHO

"Os estragos relatados e apresentados nos meios de comunicação social são compatíveis com a ocorrência de um tornado na região. Uma análise mais aprofundada dos impactos e observações permitirá efetuar uma classificação mais detalhada do fenómeno, em particular, de qual a sua intensidade", pode ler-se no comunicado emitido pelo IPMA durante a tarde de hoje.

O IPMA realçou "que, tratando-se de um tornado, a sua intensidade será definida na escala de Fujita (entre F0 e F5) ou na escala de Fujita modificada, chamando-se à atenção que não existe uma classificação de minitornado".

De acordo com a descrição do instituto, "na região de Vila Chã, em Vila do Conde, próximo das 08:00 locais deste domingo, verificaram-se estragos em estruturas, na sequência da passagem de uma superfície frontal fria de forte atividade, com supercélulas embebidas".

Por volta das 07:40, o tempo estava "relativamente calmo", segundo a descrição do produtor de leite José Carlos Passo, que contou à Lusa ter ouvido um trovão, a que se seguiu um estrondo.

"Estávamos na ordenha da manhã, ouvimos o estrondo, viemos à vacaria ver o que se passava e era uma nuvem de pó", disse o proprietário da vacaria construída em 1988 e ampliada várias vezes desde então, que sublinhou que o seu caso é menos grave do que o dos dois vizinhos que também foram atingidos por aquilo a que chamam um "minitornado" com consequências na ordem das dezenas de milhares de euros.

Em nenhuma das três propriedades houve pessoas feridas, mas numa das vacarias "um ou dois animais" sofreram ferimentos superficiais, tendo uma parede chegado a ser derrubada pela força do vento.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.