sicnot

Perfil

País

MP pede pena não inferior a 20 anos para pai acusado de matar bebé à facada em Oeiras

O Ministério Público (MP) pediu hoje, no Tribunal de Cascais, uma pena de prisão não inferior a 20 anos para o homem acusado de esfaquear mortalmente o filho de seis meses em abril de 2015, em Oeiras.

(SIC/ Arquivo)

"Produzida a prova, o Ministério Público julga que as juízas podem e devem dar como assente que o arguido sabia que era seu filho, um bebé e sem capacidade de se defender, sabia que a faca era um objeto apto para tirar-lhe a vida e quis usar a faca, cravá-la no seu filho e causar-lhe a morte", afirmou o procurador.

Além disso, acrescentou, não restam dúvidas de que foi o arguido que rodou os manípulos dos bicos do fogão para provocar uma fuga de gás e tentar provocar uma explosão.

Apesar de ter notado que devido à ausência de depoimento da mãe do bebé, assistente no processo, ficaram por apurar as verdadeiras motivações da conduta do arguido, o procurador do MP disse ter havido prova de julgamento suficiente.

"Foi o arguido quem cravou a faca no corpo do bebé e ligou os bicos do fogão para provocar uma fuga de gás. Deverá ser condenado por todos os crimes de que está acusado com uma pena exemplar, tendo em conta a gravidade dos factos, não inferior a 20 anos", concluiu.

Também o advogado da assistente, mãe do bebé e ex-companheira do arguido, disse terem ficado provados todos os crimes que constam da acusação e pediu pena máxima de prisão.

Já a defesa do arguido frisou que "ninguém pode ser condenado por indícios" e que "se existir o mínimo de dúvida deve-se decidir a favor do réu".

"Estou estupefacto e assustado com as alegações que me antecederam. É preciso provar e nada ficou provado. É isto que impõe a lei. Os jurados têm de ter a dignidade e a coragem de aplicar a lei", afirmou o advogado Aníbal Pinto.

O advogado afirmou que não se sabe se foi o arguido quem espetou a faca, que se sabe que o bebé estava vivo quando foi socorrido e que, a ter sido o suspeito o autor do crime, não se sabe se ele estava consciente.

"Pede-se 20 anos a um homem que era o cuidador do bebé? O bebé era bem tratado, higienizado, alimentado", concluiu.

O homem, de 34 anos, está a ser julgado em Cascais por um tribunal do júri, requerido pela defesa, composto por quatro cidadãos previamente selecionados e quatro suplentes.

A acusação do Ministério Público sustenta que o arguido matou o filho, a 08 de abril de 2015, em retaliação contra a sua ex-companheira, a qual lhe teria dito que queria pôr fim à relação entre ambos, após descobrir que o suspeito mantinha o consumo de álcool.

O arguido está em prisão preventiva ao abrigo deste processo no Estabelecimento Prisional de Lisboa, acusado de homicídio qualificado.

O homem responde ainda neste processo por explosão e incêndio, profanação de cadáver e homicídio, todos estes crimes na forma tentada, além de um crime de tráfico de droga.

A leitura da sentença ficou agendada para o dia 10 de maio, às 13:45.

Lusa

  • Trabalhos no viaduto terminaram, mas trânsito continua condicionado em Alcântara
    1:23

    País

    Não há, para já, previsão para o restabelecimento da normalidade em Alcântara. Os trabalhos para colocar o viaduto de Alcântara na posição correta, depois do desvio registado num pilar, decorreram esta madrugada. O trânsito mantém-se por isso condicionado no sentido Cascais-Lisboa, como explicou o repórter da SIC, Paulo Varanda.

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.