sicnot

Perfil

País

O tempo para hoje

O tempo para hoje

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê para hoje no continente céu com períodos muita nebulosidade, aguaceiros, em especial a partir da tarde, que poderão ser localmente fortes, de granizo e acompanhados de trovoada, e que serão mais frequentes nas regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela.

Está também prevista queda de neve nas regiões norte e centro acima de 800/1000 metros de altitude, subindo gradualmente a cota para 1000/1200 metros na região norte e para 1200/1400 metros na região centro.

A previsão aponta ainda para vento fraco a moderado do quadrante sul, soprando moderado a forte no litoral e nas terras altas, por vezes com rajadas respetivamente até 70 e até 90 quilómetros por hora e pequena descida da temperatura mínima na região norte e litoral centro.

Em Lisboa as temperaturas vão oscilar entre 08 e 14 graus Celsius, no Porto entre 06 e 13, em Vila Real entre 02 e 12, em Viseu entre 02 e 11, em Bragança entre 01 e 13, na Guarda entre 01 e 08, em Coimbra entre 07 e 14, em Castelo Branco entre 06 e 13, em Santarém entre 06 e 16, em Évora entre 07 e 15, em Beja entre 07 e 16 e em Faro entre 12 e 16.

Com Lusa

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.