sicnot

Perfil

País

Preparação de partos em meio aquático atrai casais de todo o país à Póvoa de Varzim

O Serviço de Obstetrícia do Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim/Vila do Conde é o único do país a disponibilizar cursos gratuitos de preparação para o parto em meio aquático.

As aulas de preparação decorrem nas piscinas municipais da Póvoa de Varzim.

As aulas de preparação decorrem nas piscinas municipais da Póvoa de Varzim.

O projeto, que já se desenvolve há três anos, tem contribuído para o aumento de nascimentos naquele hospital, atraindo cada vez mais casais às aulas de preparação que decorrem nas piscinas municipais da Póvoa de Varzim,

O objetivo dos cursos é preparar as futuras mães para o processo de parto, com exercícios variados que simulam alguns dos procedimentos que vão acontecer na altura de dar à luz, conferindo às parturientes uma maior consciencialização.

"As grávidas realizam na piscina os exercícios que irão, depois, fazer na sala de parto, com a presença do convivente significativo [companheiro], o que é importante para estreitar os laços e criar mecanismos de preparação", disse Irene Cerejeira, enfermeira chefe do Serviço de Obstetrícia.

Segundo a responsável, a adesão a estes cursos ronda os 30 por cento dos casais que procuraram o serviço do Centro Hospitalar, considerando que "as experiências positivas perspetivam que cada vez mais grávidas adiram a esta iniciativa".

"As aulas, que decorrem à hora do almoço, são de 60 minutos e podem acolher com dez casais. São dadas por enfermeiras do nosso serviço com formação específica nesta área, e são completamente gratuitas".

Irene Cerejeira vincou que "esta preparação em meio aquático não significa que o parto se vá realizar na água", lembrando que "dá mais ferramentas para que as mães possam passar por todo o processo, na sala de partos, com maior preparação, conhecimentos e tranquilidade, ajudando a que o bebé nasça de forma mais saudável ".

Isso mesmo comprovou Rosália Silva, que escolheu participar neste curso "por ser inovador e gratuito", garantindo que as aulas a ajudaram a que "passasse pelo processo com maior relaxamento".

"Tive o meu bebé de parto natural e esta preparação ajudou-me muito, pois além de ter partilhado experiências com outros casais promoveu a proximidade com as enfermeiras e mesmo com o meu marido, o que me deu maior tranquilidade", disse a parturiente.

Rosália considerou que o facto de o marido participar ajudou a que "ele sentisse o nascimento de outra maneira emocionalmente, mas, sobretudo com uma maior preparação ajudar".

Manuel Morim, médico e diretor do serviço, partilhou que esta iniciativa tem atraído ao Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim/Vila do Conde casais de outros concelhos para integrarem as aulas, lembrando que a unidade "é única do Serviço Nacional de Saúde que faz esta preparação de forma gratuita".

"Fomos dos poucos serviços da região onde subiram o número de nascimentos no ano passado e temos tido gente de todo o país a procurar-nos. Já tivemos casais Espinho, Vila Nova de Gaia, Paredes, Trofa, e até do Algarve", vincou o clínico.

A comprovar o sucesso do projeto, ainda recentemente o Centro Hospitalar recebeu a visita de uma parteira norte-americana, perita mundial em parto na água, que elogiou o projeto e deixou algumas indicações para melhorar a eficiência do mesmo.

Lusa

  • "Se Portugal não confia no sistema judicial de Angola não deve fazer negócios com o país"
    18:27

    País

    O julgamento do caso Fizz arrancou esta segunda-feira. Victor Silva, diretor do Jornal de Angola, esteve na Edição da Noite para analisar como estão as relações entre Portugal e Angola, numa altura em que Manuel Vicente viu recusada a transferência do processo para o país angolano. Victor Silva afirmou que a decisão de "separar os processos vai de encontro aos interesses dos dois estados" e vai mais longe ao dizer que se Portugal "não confia no sistema judicial de Angola então não pode fazer negócios com o país".

  • Obras no Estádio do Estoril já começaram

    Desporto

    A Câmara de Cascais emitiu esta segunda-feira um comunicado a informar que já começaram os trabalhos no Estádio do Estoril e que, segundo a autarquia, seguem as recomendações do Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC