sicnot

Perfil

País

Terceiro suspeito do tiroteio na Ameixoeira ficou em prisão preventiva

Um terceiro suspeito do tiroteio ocorrido no bairro da Ameixoeira, em Lisboa, há quase duas semanas, detido na sexta-feira em Ponte de Lima, ficou em prisão preventiva, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Arquivo

Arquivo

MÁRIO CRUZ

Numa nota publicada na página da internet, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa refere que o homem, de 26 anos, "ficou fortemente indiciado pela prática de três crimes de homicídio qualificado na forma tentada, do crime de participação em rixa e de um crime de detenção de arma proibida".

Na noite de 29 de março, três agentes da Polícia de Segurança Pública e duas mulheres civis foram baleados durante confrontos entre famílias rivais no bairro da Ameixoeira, na Alta de Lisboa.

Segundo a Polícia Judiciária, este suspeito, em conjunto com outros dois homens já detidos, "efetuou vários disparos na via pública, os quais vieram a atingir e ferir três elementos da Polícia de Segurança Pública que tinham acorrido ao local, assim como duas outras pessoas".

O homem tinha-se posto em fuga após o tiroteio, "vindo agora, após a realização de múltiplas diligências da Polícia Judiciária com a colaboração da Polícia de Segurança Pública de Viana do Castelo, a ser localizado e detido no concelho de Ponte de Lima".

Dois outros suspeitos do tiroteio, tio e sobrinho, tinham já sido detidos há uma semana, "por fortes indícios" da prática de crimes de homicídio na forma tentada.

Depois de presentes a primeiro interrogatório judicial, um dos homens, de 42 anos, ficou em prisão preventiva, enquanto o outro, de 24 anos, saiu em liberdade, com obrigatoriedade de apresentações semanais na esquadra de residência.

A Inspeção-Geral da Administração Interna anunciou, entretanto, a abertura de um inquérito para apurar "todos os factos" relacionados com o tiroteio ocorrido no bairro.

Com Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.