sicnot

Perfil

País

Jornadas parlamentares do CDS nos Açores, a 6 e 7 de junho

As jornadas parlamentares do CDS-PP, marcadas para 6 e 7 de junho, irão realizar-se nos Açores, região que terá eleições para a Assembleia Legislativa no outono.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O líder da bancada do CDS-PP, Nuno Magalhães, adiantou que, apesar de o programa não estar ainda fechado, o objetivo é que sejam "umas jornadas parlamentares dinâmicas, fugindo ao modelo clássico de haver apenas e só painéis".

"Vamos procurar um contacto intenso com a população, fazer visitas, conhecer a realidade", disse Nuno Magalhães.

Quanto aos temas em debate irão abranger matérias nacionais e regionais e serão acertados com o CDS-Açores, acrescentou o líder parlamentar democrata-cristão.

Relativamente ao facto das jornadas se irem realizar nos Açores, Nuno Magalhães reconheceu que o aproximar de "um momento importante" como as eleições regionais pesou na decisão, sublinhando que o objetivo do grupo parlamentar do CDS-PP é ajudar "num combate que será difícil", mas em relação ao qual o partido tem "grande esperança e confiança".

"Eles no CDS Açores é que definem a sua forma de fazer campanha, o seu programa, são se trata de nenhum interferência ou ingerência, trata-se de ajudar dentro do possível", vincou.

Nuno Magalhães escusou-se, para já, a revelar em que ilha ou ilhas dos Açores irão decorrer as jornadas parlamentares.

Nas últimas eleições para a Assembleia Legislativa da região Autónoma dos Açores, o CDS-PP elegeu três deputados - um pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, outro pelo círculo eleitoral da ilha de São Jorge e um pelo círculo regional de compensação.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48