sicnot

Perfil

País

Jornadas parlamentares do CDS nos Açores, a 6 e 7 de junho

As jornadas parlamentares do CDS-PP, marcadas para 6 e 7 de junho, irão realizar-se nos Açores, região que terá eleições para a Assembleia Legislativa no outono.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O líder da bancada do CDS-PP, Nuno Magalhães, adiantou que, apesar de o programa não estar ainda fechado, o objetivo é que sejam "umas jornadas parlamentares dinâmicas, fugindo ao modelo clássico de haver apenas e só painéis".

"Vamos procurar um contacto intenso com a população, fazer visitas, conhecer a realidade", disse Nuno Magalhães.

Quanto aos temas em debate irão abranger matérias nacionais e regionais e serão acertados com o CDS-Açores, acrescentou o líder parlamentar democrata-cristão.

Relativamente ao facto das jornadas se irem realizar nos Açores, Nuno Magalhães reconheceu que o aproximar de "um momento importante" como as eleições regionais pesou na decisão, sublinhando que o objetivo do grupo parlamentar do CDS-PP é ajudar "num combate que será difícil", mas em relação ao qual o partido tem "grande esperança e confiança".

"Eles no CDS Açores é que definem a sua forma de fazer campanha, o seu programa, são se trata de nenhum interferência ou ingerência, trata-se de ajudar dentro do possível", vincou.

Nuno Magalhães escusou-se, para já, a revelar em que ilha ou ilhas dos Açores irão decorrer as jornadas parlamentares.

Nas últimas eleições para a Assembleia Legislativa da região Autónoma dos Açores, o CDS-PP elegeu três deputados - um pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, outro pelo círculo eleitoral da ilha de São Jorge e um pelo círculo regional de compensação.

Lusa

  • Atrás das Câmaras em Mirandela
    2:36

    Atrás das Câmaras

    A SIC está a percorrer o pais para ouvir as historias dos municípios e dos eleitores. Até às autárquicas, o programa opinião pública dá lugar ao Atrás das Câmaras, que hoje está em Mirandela, no distrito de Bragança, como conta a repórter Catarina Lázaro.

    Hoje na SIC e SIC Notícias

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • "Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo"
    0:39

    Orçamento do Estado 2018

    O deputado e economista do PS Paulo Trigo Pereira defende que o desagravamento fiscal que o Governo quer pôr em marcha é "moderado". Em entrevista ao Público e à Renascença, o socialista diz que é preciso realismo e que é uma "alquimia" mexer ao mesmo tempo nas carreiras, pensões e rendimentos dos trabalhadores.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15